Médicos de Taiwan unem esforços para acabar com a colheita ilegal de órgãos na China

Capa do livro “Órgãos do Estado: O abuso do transplante na China”, editado por David Matas e Dr. Torsten Trey. (Divulgação/David Matas )

TAIPEI – Uma organização comprometida a expor a prática da colheita forçada de órgãos está unindo-se aos médicos em Taiwan num momento em que o Partido Comunista Chinês (PCC) realiza seu 18º Congresso.

Os Médicos contra a Colheita Forçada de Órgãos (DAFOH), com sede em Washington, D.C., juntaram esforços com a Organização de Cirurgiões Taiwanesa que faz parte da Associação Internacional de Cuidados no Transplante de Órgãos (Organ Care) para encaminhar um documento de alerta à comunidade médica sobre os crimes da colheita forçada de órgãos do PCC.

Em uma declaração conjunta, as duas organizações estão exigindo que o PCC pare com a extração ilegal de órgãos de praticantes de Falun Gong, uma prática de meditação, e outros prisioneiros de consciência, processe os responsáveis por essas ações e que acabe com a perseguição de 13 anos contra praticantes da meditação. O documento apela a todos os países para que alterem ou criem uma legislação que proteja as populações locais, previnindo-as de contribuir para a colheita de órgãos.

Os médicos e outros profissionais de saúde que assinaram a declaração permitiram que o DAFOH envie a cópia original da declaração, das fotocópias e das estatísticas ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, à Organização Mundial de Saúde, à Associação Médica Internacional de Transplantes, aos governos de todos os países do mundo e a outras organizações que têm a credibilidade mundial.

Durante o período de duas semanas, entre os dias 20 outubro e 4 novembro, mais de 475 médicos e 190 profissionais de saúde endossaram a campanha da Organ Care com as assinaturas. Dentre eles estão o diretor do Departamento de Saúde, o presidente da Associação dos Cirurgiões e o ex-Vice-diretor de Saúde de Taiwan.

Chen Yongxing, um diretor de hospital e signatário da declaração, revelou que alguns médicos do país têm ligações ou parcerias comerciais com médicos relacionados a colheita de órgãos na China. Ele espera que o Departamento de Saúde e entidades legais conduzam uma detalhada investigação para acabar com as práticas ilegais.

Zhu Wanqi, porta-voz do Grupo de Advogados de Direitos Humanos do Falun Gong, que ajudou a iniciar a coleta de assinaturas para o movimento, disse que a descarada depravação do PCC referente a retirada de órgãos de praticantes de Falun Gong e prisioneiros de consciência tem sido repetidamente condenada no mundo. Ela disse que os médicos de Taiwan que enviaram seus pacientes para a China para transplante com órgãos de origem desconhecida devem ser levados à justiça e condenados.

De acordo com a Organ Care, a coleta de assinaturas continuará até que o PCC acabe com a colheita de órgãos e puna os agressores.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

Nota do Editor: Quando o ex-diretor de polícia de Chongqing, Wang Lijun, tentou salvar sua vida refugiando-se no consulado dos EUA em Chengdu em 6 de fevereiro de 2012, ele iniciou uma tempestade política que só tem piorado. A batalha nos bastidores gira em torno de qual postura terão os oficiais em relação a perseguição ao Falun Gong. A facção com mãos sangrentas – liderada pelo oficial do alto escalão do PCC, Jiang Zemin, para realizar a perseguição – está se esquivando para evitar a responsabilidade por seus crimes e para continuar suas ações. Outros oficiais estão se recusando a continuar participando da perseguição. Esses eventos são uma clara escolha para os oficiais e cidadãos da China, bem como para as pessoas ao redor do mundo: de apoiarem ou se oporem à perseguição ao Falun Gong. A história registrará a escolha de cada um.

 
Matérias Relacionadas