Matteo Salvini garante que não abrirá portos da Itália ao navio da Open Arms

Ministro do Interior italiano afirmou que, por se tratar de uma ONG proveniente da Espanha, o navio deverá voltar ao país de origem

Por Agência EFE

O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, ordenou nesta terça-feira (13) que o navio da ONG Open Arms (Braços Abertos, em português), que transporta 151 imigrantes no Mar Mediterrâneo há 12 dias, se dirija para a Espanha, país de origem da entidade, já que os portos italianos seguirão fechados.

O político de direita fez uma postagem no perfil pessoal que mantém no Twitter, em que além de uma foto em que aparece sorridente, no próprio escritório, faz a afirmação sobre a manutenção da postura do governo.

“Trabalhando desde cedo para evitar o desembarque de mais de 500 imigrantes, que estão nos barcos de duas ONGs, uma francesa e uma espanhola”, disse o ministro, também se referindo aos Médicos sem Fronteiras e a SOS Mediterranée.

Salvini destacou que, no caso do Viking Ocean, a Líbia ofereceu asilo aos 356 resgatados, mas o país africano, em guerra desde 2011, não é considerado um porto seguro por diversas organizações internacionais.

Já no que diz respeito ao Open Arms, o ministro do Interior italiano voltou a se mostrar firme, ao garantir que, por se tratar de uma ONG proveniente da Espanha, o navio deverá voltar ao país de origem.

Recentemente, Salvini usou o tema da imigração para atacar o Movimento Cinco Estrelas, com quem o partido que integra, a Liga Norte, mantinha coalizão para formação de governo desde junho de 2018. A aliança, no entanto, foi quebrada recentemente, tendo o próprio líder como principal responsável pelo rompimento.

“Espero que, para se manter no poder, o Cinco Estrelas não governe com Matteo Renzi, porque voltariam os 500 mil desembarques de imigrantes, que o Partido Democrata deu de presente aos italianos no ano passado”, disse, em referência ao ex-primeiro-ministro do país.

 
Matérias Relacionadas