Mandado de busca por telefone de Alec Baldwin é emitido após disparo mortal no set de ‘Rust’

'Alguém colocou uma bala real em uma arma, munição que nem deveria estar na propriedade', afirmou Baldwin

Por Mimi Nguyen Ly

Na quinta-feira, o juiz aprovou um mandado de busca policial para o iPhone de Alec Baldwin, após o ator ser acusado de atirar fatalmente na cineasta, Halyna Hutchins, no dia 21 de outubro, no set de filmagem do filme “Rust”, no Novo México.

“A acusação está solicitando um mandado de apreensão e busca pelo celular de Alec Baldwin, na procura de qualquer evidência relacionada à investigação da morte de Halyna Hutchins”, afirmou a detetive, Alexandria Hancock, no mandado (pdf), aprovado por um tribunal de Santa Fé.

“A acusação acredita que pode haver evidências no telefone, devido ao uso de telefones celulares por indivíduos durante e / ou após a prática do (s) crime (s). Essas informações, se existirem, podem ser materiais e relevantes para esta investigação. A acusação também foi informada de que vários e-mails e mensagens de texto foram enviados e recebidos sobre a produção do filme ‘Rust’ durante as entrevistas.”

A acusadora, uma mulher, atualmente trabalha como detetive de crimes violentos na Divisão de Investigação Criminal do Departamento do Xerife do Condado de Santa Fé e possui quatro anos de experiência na aplicação da lei, de acordo com o mandado.

Hutchins, de 42 anos, foi transportada de avião para um hospital após o tiroteio e morreu devido ao ferimento à bala no peito. O diretor de “Rust”, Joel Souza, de 48 anos, recebeu atendimento de emergência em outro hospital devido ao ferimento à bala no ombro.

Baldwin, de 63 anos, afirma que foi informado de que uma pistola antiga que ele recebeu para o ensaio da cena, no dia 21 de outubro, não estava carregada. Em uma entrevista com George Stephanopoulos da ABC que foi ao ar no dia 2 de dezembro, Baldwin, o produtor do filme, afirmou que não puxou o gatilho da arma quando ela disparou.

“Eu não puxei o gatilho”, afirmou ele a Stephanopoulos. “Eu nunca apontaria uma arma para ninguém e puxaria o gatilho. Nunca”.

Quando questionado sobre como uma munição real acabou no set, ele respondeu: “Não tenho ideia. Alguém colocou uma bala real em uma arma, uma munição que nem deveria estar na propriedade”.

“Alguém é responsável pelo que aconteceu, e não posso afirmar quem é, mas não sou eu”, declarou ele.

Tanto Baldwin quanto sua esposa, Hilaria Baldwin, deletaram suas contas no Twitter dias após a entrevista para a ABC. Eles ainda parecem estar ativos no Instagram.

A aprovação do mandado de busca ocorreu cerca de uma semana após Baldwin ser visto em público pela primeira vez – ele foi o mestre de cerimônias no evento Robert F. Kennedy Human Rights 2021 Ripple of Hope Gala, na cidade de Nova Iorque.

Desde o tiroteio mortal, Baldwin foi processado por um supervisor de roteiro e um membro da equipe em dois processos separados.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas