Mais 128 mil ingressam no serviço público na China por ano

China continua gastando casa vez mais numa administração inchada
Um local de exame para emprego público na cidade de Nanjin, leste da China. Cerca de 1,03 milhões de chineses competiram por 16 mil posições na China em 2010 (Epoch Times Archive)

Nos últimos quatro anos, o número de funcionários públicos na China aumentou em média 128 mil por ano, segundo um relatório oficial recém-publicado. Esses cargos administrativos vêm com benefícios financeiros generosos que criam despesas preocupantes.

Os dados divulgados em 27 de junho pela Administração Estatal do Serviço Civil mostram que, entre 2008 e 2012, o número de funcionários públicos na China aumentou em 512 mil, uma média de 128 mil por ano. No final de 2012, havia 7,089 milhões de servidores públicos.

A China também tem cerca de 40 milhões de pessoas que trabalham nas chamadas “associações” financiadas pelo governo, como a Federação de Todas as Mulheres da China, bem como “unidades de trabalho”, como a mídia estatal Diário da China, uma unidade de nível ministerial, informou o Jinghua Times em abril de 2012. Como resultado, cada 28 contribuintes chineses sustenta um cargo no funcionalismo público.

Mas é um segredo de Estado na China quanto dinheiro é gasto com os servidores públicos do país anualmente, embora por meio de vários relatos as pessoas tenham uma ideia desse fardo para a população e a iniciativa privada.

De acordo com um relatório de novembro de 2012 no Diário Nacional de Negócios, o “Plano de reforma do sistema de salário do serviço público”, que entrou em vigor 1º de julho de 2006, determina que os salários de funcionários públicos incluam: salário base, subsídio, abonos e gratificações.

Embora o salário base não seja alto, muitas posições oferecem vários subsídios e abonos. Um estudo realizado pelo professor Sun Lin da Faculdade de Economia da Universidade de Fudan mostrou mais de 300 tipos de subsídios são dados aos servidores públicos por diversos órgãos locais, segundo um artigo do Diário Nacional de Negócios.

Além da renda, subsídios e abonos, os funcionários públicos chineses também desfrutam de pensões e benefícios de saúde e habitação bem acima da média. Por exemplo, uma regulamentação do governo de 2006 prevê que um funcionário público aposentado, depois de servir 20 anos, deve receber como pensão não menos que 80% do salário total antes da aposentadoria. Em contraste, um trabalhador chinês comum recebia apenas 44% em 2008.

O aumento do número de funcionários públicos tem levado a crescentes despesas administrativas. De acordo com dados da Secretaria Nacional de Estatísticas da China, num período de 12 anos, de 1995 a 2006, o custo da administração na China aumentou 6,6 vezes, de 99,654 milhões de yuanes (US$ 16,2 milhões) para 757,105 milhões de yuanes (US$ 123,3 milhões).

As despesas da administração pública chinesa em 2006 foram responsáveis por 18,73% das despesas fiscais nacionais totais, muito superiores às do Japão 2,38%, da Grã-Bretanha 4,19% e da Coreia do Sul 5,06%, informou a Xinhua News em 2008, citando o vice-diretor da Secretaria de Estatística da província de Hubei.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas