A maioria das vitaminas provém da China, então fique atento

Se você está tomando vitaminas, há uma boa chance de que elas tenham sido importadas da China. Uma população em envelhecimento e o crescente foco na saúde nos Estados Unidos têm alimentado o crescimento do mercado de vitaminas e suplementos nutricionais, que envolve US$ 28 milhões apenas no país e que deve continuar a crescer a taxa de 3% ao ano.

Mais da metade dos adultos americanos consomem vitaminas e suplementos, mas podem não estar cientes de que estão ingerindo produtos feitos na China, ou com matérias-primas da China. A China conquistou mais de 90% do mercado de vitamina C nos Estados Unidos, segundo o Seattle Times. Pense em quantas etiquetas anunciam acréscimo de vitamina C. A vitamina C entra em muitos alimentos e bebidas – quase todos os alimentos processados para os seres humanos, bem como animais de estimação contêm vitamina C.

O consumidor não tem como saber se a vitamina C adicionada vem da China, porque não há regra que exija a rotulagem do país de origem para os ingredientes. Isto pode levantar algumas sobrancelhas, pois escândalos chineses de segurança alimentar fazem manchetes frequentemente. Aqui estão cinco fatos que qualquer consumidor de vitaminas deve saber:

1. Apenas 2% de todas as vitaminas e outros suplementos importados são inspecionados nos EUA. Por quê? Vitaminas e suplementos são classificados como “comida” segundo a lei e, portanto, não estão sujeitos ao estrito escrutínio regulamentar dos medicamentos prescritos.

2. As principais áreas de produção de suplementos vitamínicos da China estão entre as mais poluídas do país (e, portanto, do mundo). Vitaminas e suplementos nutricionais geralmente utilizam produtos agrícolas como matéria-prima fundamental. A principal província exportadora de vitaminas, Zhejiang, tem um nível alarmante de poluição do solo por metais pesados. De fato, um sexto das terras da China está gravemente poluído.

Por exemplo, o arroz plantado em várias províncias agrícolas principais foi relatado contendo cádmio excessivo, um metal comumente encontrado em baterias, colorantes e resíduos industriais de produção de plásticos. Isso pode causar doença renal grave.

A água de irrigação é um pesadelo: Metade dos principais corpos d’água do país está poluída, assim como 86% dos corpos d’água das cidades. A poluição é em grande parte causada pelas numerosas fábricas do país, que raramente têm infraestrutura para o tratamento da poluição. 70-80% dos resíduos industriais do país são despejados diretamente nos rios.

3. Mesmo produtos rotulados “orgânicos”, quando provenientes da China, não são seguros, pois os padrões orgânicos do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) não estabelecem limites sobre os níveis de contaminação por metais pesados para os alimentos orgânicos certificados.

4. Aproximadamente 6.300 norte-americanos em todo o país reclamaram sobre reações adversas aos suplementos alimentares entre 2008 e 2012, segundo estatísticas da Vigilância Sanitária (FDA) dos EUA. Mas o número real pode ser mais de oito vezes maior, segundo especialistas, porque a maioria das pessoas não acredita que produtos de saúde poderiam torná-los doentes. Embora nem todos esses problemas sejam causados pela poluição na China, a poluição pode ter desempenhado um papel.

5. Pior de tudo, vitaminas produzidas pela China estão por toda a parte, e mesmo aqueles que não consomem as vitaminas e suplementos dificilmente podem escapar. Muitas vitaminas aparecem como ingredientes em produtos como refrigerantes, alimentos, ração animal e inclusive cosméticos.

 
Matérias Relacionadas