Mãe de três filhos que perdeu 34 quilos diz que sua filha de 6 anos pode finalmente abraçá-la adequadamente

Por Swins

Uma mulher finalmente conseguiu um abraço adequado de sua filha de 6 anos, depois de perder 34 quilos.

Carla Ford, de 33 anos, atingiu 224 libras (aproximadamente 101 kg) ao adquirir o hábito de comer compulsivamente depois de ser mãe, enquanto ia trabalhar meio período e voltava para a faculdade para obter as qualificações de que precisava para se tornar enfermeira.

Começou a encher-se de pãezinhos de salsicha Greggs, cookies, latte de baunilha, macarrão com pesto de frango e comida para viagem por quase uma década.

“Sempre escondi meu peso ‘debaixo do tapete’”, diz Carla. “A verdade é que fiquei muito infeliz com a minha aparência. Lágrimas vieram aos meus olhos ao ver como eu fiquei.”

“A tal ponto que lavei o cabelo duas vezes por dia para me certificar de que estava bem, porque era a única coisa que conseguia arranjar instantaneamente”, acrescentou.

(SWNS)

Em março de 2020, a mãe de três filhos, de Edimburgo, Escócia, compareceu a um check-up de rotina em seu consultório médico e foi informada de que estava prestes a desenvolver diabetes tipo 2. A notícia de seu peso “acabou afetando-a”.

Devastada com o diagnóstico previsto, ela foi medicada com antidepressivos para ajudá-la a lidar com o choque das notícias de saúde.

Quatro meses depois, Carla decidiu perder os quilos com uma dieta reduzida em carboidratos, que consiste em eliminar o pão e o açúcar.

“Eu não tinha tempo para mim, mas quando estava na metade do caminho pensei que, com o susto da minha saúde, se eu não fizesse algo, nunca mudaria”, disse Carla.

Ela mudou para uma dieta mais saudável que incluía ovos mexidos, bacon crocante e abacate no café da manhã, depois salada de atum com azeitonas / frango cozido e queijo para o almoço e torta de queijo cottage com purê de couve-rábano e muitos vegetais verdes com manteiga para o jantar, além de um sobremesa deliciosa de caramelo salgado com chantilly.

Para os lanches, Carla optou por opções mais saudáveis, como lascas de bacon com aioli e castanha de caju.

(SWNS)

“Os primeiros quatro ou cinco dias foram muito difíceis, porque o corpo sofre um impacto”, diz Carla. “Mas depois de alguns meses, percebi que estava perdendo todos os sintomas da minha síndrome dos ovários policísticos. A pele horrível desapareceu junto com o excesso de pelos faciais e a sensação de fome constante também foi reduzida.”

Além da mudança na dieta, Carla começou a andar muito mais e entrou na academia em novembro, depois de perder 70 libras (aproximadamente 32 kg).

“Eu também não queria fazer um trabalho em que meu peso me afundasse”, disse Carla. “Eu não queria ficar fora de forma enquanto fazia um turno de 12 horas.”

Carla trabalhou muito durante quatro anos enquanto estudava para as notas necessárias para uma vaga na universidade, ao mesmo tempo que cuidava de seus três filhos.

Seis meses depois de mudar sua dieta, Carla reverteu sua tendência ao diabetes, e os sintomas da síndrome dos ovários policísticos (SOP) também foram reduzidos.

“Eu me sinto muito melhor com tudo isso”, disse Carla. Antes, “tentei muitas dietas ao longo dos anos e vi meu peso variar como um ioiô, mas não se mantinha.”

“Quando isso aconteceu eu nunca me senti melhor mental ou fisicamente”, acrescentou Carla.

(SWNS)

Carla mencionou que recentemente tem havido muita atenção à dieta cetogênica nas redes sociais, com alguns alegando que pode ser prejudicial à saúde e insustentável, mas para Carla ela diz que esse não é o caso.

“Isso realmente salvou minha vida”, ela afirmou.

“Não comerei mais como costumava comer, agora que sei o que funciona para o meu corpo e os tremendos benefícios que ganhei com a redução da ingestão de carboidratos”, acrescentou.

Além disso, Carla faz exames de sangue regulares com seu médico para garantir que seu corpo esteja funcionando adequadamente com seu novo estilo de vida. Agora ela está convencida de que a nutrição pode ajudar a resolver muitos problemas para os quais os medicamentos são normalmente prescritos.

Agora pesando 60 quilos, Carla diz que sua jornada notável para perder peso finalmente chegou ao seu destino quando sua filha, Florence, a abraçou uma tarde e disse que ela “conseguia alcançar seus braços”.

“Ele me disse: ‘Mãe, agora meus braços podem se tocar’”, lembra Carla. “São coisas assim que eu nunca teria percebido antes, mas obviamente estavam impactando ela.”

(SWNS)

Sobre seu peso ideal, Carla disse que perder tanto peso permitiu que ela realizasse seu sonho de ser parteira, que atualmente está estudando na Universidade Napier de Edimburgo.

Carla também tem compartilhado sua dieta e regime de condicionamento físico em sua conta do Instagram para ajudar a inspirar outras pessoas em seus processos de perda de peso.

Com informações da equipe do Epoch Times.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

 
Matérias Relacionadas