Publicado em - Atualizado em 03/12/2014 às 14:17

Lula tenta evitar divulgação de gastos do cartão corporativo de Rose

STJ já determinou que o Planalto divulgue ao jornal O Globo os gastos de Rosemary no cartão

Rosemary Noronha (Arquivo ABr)

Rosemary Noronha (Arquivo ABr)

Em plena efervescência da nomeação do novo ministério, o ex-presidente Lula anda muito sumido e a gente fica até pensando se desta vez ele vai mesmo permitir que, pelo menos, a presidente Dilma faça a escolha dos seis ministros da chamada “cota” dela.

Lula submergiu, mas sabe-se que ele não abriu mão de nomear os ministros da Fazenda, da Educação e das Cidades. Quer dizer, Joaquim Levy é indicação dele. Falta preencher as outras duas pastas, e todos sabem que Dilma Rousseff não ousa contrariar seu antecessor, criador e preceptor.

Leia também:
Parlamentares declaram que vão prestar queixa contra Renan Calheiros
Truculência de Renan Calheiros provoca tumulto e votação de manobra fiscal é adiada
Plebiscito pode virar “cheque em branco” para o governo, afirma ex-presidente do STF

Nos bastidores, no momento Lula tenta cuidar de um problema muito mais grave do que nomear ministros. Trata-se de evitar mais desgaste em sua imagem de homem público, que desde o episódio do mensalão vem sendo deteriorada progressivamente, e agora a situação se complicou muito com a corrupção na Petrobras e o desenrolar do caso Rosemary Noronha.

O cartão de Rose

No momento, a preocupação maior de Lula é evitar a divulgação dos abusivos gastos feitos no cartão corporativo da Presidência por sua companheira de viagens internacionais, digamos assim. Como se sabe, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já determinou que o Planalto divulgue ao jornal O Globo os gastos de Rosemary no cartão.

Com a morte de Marcio Thomaz Bastos, Lula ficou desprotegido em matéria de assessoria jurídica. Não há maiores informações, mas tudo indica que, no desespero, o governo impetrou um recurso extraordinário ao Supremo. Acontece, porém, que o próprio STJ pode indeferir a manobra protelatória, por não se tratar de questão constitucional, e dar a questão por encerrada. Portanto, em breve saberemos se houve recurso e se subiu ou não.

O sorriso de Dilma

O que se sabe é o seguinte: se forem divulgados os gastos de Rosemary com o cartão corporativo da Presidência da República, a imagem de Lula estará seriamente comprometida junto à opinião pública, porque ele será ridicularizado no Brasil e no exterior.

E o mais interessante é que a presidente Dilma Rousseff está doida para liberar logo essas informações. Se depender do apoio dela, Lula estará liquidado. A verdade é que Dilma não quer mais aceitar as ordens do ex-presidente, mas ainda não tem como se livrar dele. Por isso, vai quebrar o sigilo do cartão corporativo de Rose com um sorriso enviesado nos lábios.

Há alguns meses, quando o movimento “Volta, Lula” estava ganhando força no PT, foi Dilma quem mandou “vazar” uma série de informações sobre Rosemary ao repórter Vinicius Sassine, de O Globo. Dilma e Lula se odeiam e fingem que se amam. Mas em sociedade tudo se sabe, como dizia Ibrahim Sued.

Originalmente publicada em: Tribuna da Internet Ir para a home do Epoch TimesVer original
Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016