Líderes da UE condenam ataque terrorista em Nice e pedem diálogo mundial

Por Agência EFE

Os chefes de Estado e de governo dos países integrantes da União Europeia condenaram, nesta quinta-feira (29), o atentado ocorrido em uma igreja católica na cidade de Nice, na França, que deixou dois mortos, e tem vinculação com radicalismo religioso, segundo as primeiras investigações.

Em uma declaração conjunta, apresentada pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, os líderes afirmaram que o ato “representa um ataque aos valores comuns” do bloco e cobraram que os atores da política global trabalhem para que o diálogo prevaleça.

“Condenamos nos termos mais fortes possíveis esses atentados, que representam ataques a nossos valores comuns. Permanecemos unidos e fortes, firmes na nossa solidariedade com a França, o povo e o governo franceses, na nossa luta comum e contínua contra o terrorismo e o extremismo violento”, diz o comunicado.

Além disso, os chefes de Estado e governo da União Europeia pediram que as lideranças mundiais trabalhem para que se busque o entendimento entre comunidades e religiões, “ao invés de criar mais divisões”.

Anteriormente, o próprio presidente do Conselho Europeu, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen; o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli; e o alto representante da UE para a Política Exterior, Josep Borrell, já tinham se manifestado sobre o atentado em Nice.

Mais cedo, na Basílica de Notre Dame, em Nice, três pessoas morreram em um ataque já classificado como terrorista pelas autoridades francesas. O autor da ação foi baleado e encaminhado ao hospital em estado grave.

 

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas