Lenda chinesa nos ensina as consequências da falta de planejamento de vida

Segundo uma lenda chinesa, na montanha Wutai vivia uma criatura chamada Han Hao (寒號鳥), um pássaro muito diferente de outras aves.

Ele não só tinha quatro pernas em vez de duas como também tinha duas asas carnudas que não podiam ser usadas para voar, por isso ele não era capaz de voar como as outras aves.

Leia também:
Família: amor e devoção na antiga China
A poesia foi soberana das artes na China antiga
Fortaleça sua paternidade com ensinamentos de Confúcio

No Verão, penas brilhantes cresceram por todo o seu corpo. Ele parecia requintado em sua nova camada de cores deslumbrantes e padrões espetaculares.

Isto foi motivo de grande orgulho para o pássaro Han Hao. Ele acreditava que era a mais bela ave do mundo, ainda mais bonita do que a magnífica Fênix.

“Olhe para mim! Olhe para mim! Até mesmo a Fênix não pode ser comparada a mim! “, o pássaro Han Hao cantou.

Enquanto o verão se desvanecia gradualmente em outono, todas as outras aves começaram a fazer planos para o inverno. Algumas começaram os preparativos para voar para o sul, enquanto outras se ocuparam de coletar alimentos e construir e reforçar seus ninhos.

O pássaro Han Hao, no entanto, não fez nada, mas apenas se pavoneou e desceu a montanha com ar de arrogância, mostrando seu revestimento glamouroso.

Os outros pássaros tentaram aconselhá-lo dizendo: “Pássaro Han Hao, enquanto o tempo ainda é agradável, construa o seu ninho e então você terá um lugar aconchegante e confortável para passar o inverno”

Mas o pássaro Han Hao não deu ouvidos.

Como o inverno se aproximava, o pássaro Han Hao começou a perder mais e mais de suas belas penas, até que um dia ele parecia um pássaro recém nascido, sem quaisquer penas.

Cada noite ela estremecia no frio, dizendo para si mesma: “É tão frio! Muito frio! Devo construir um ninho amanhã! ”

Mas assim que o sol saiu no dia seguinte, o pássaro Han Hao esqueceu tudo sobre o frio da noite anterior e a ideia de construir um ninho.

Os outros pássaros disseram: “Pássaro Han Hao, apresse-se em construir seu ninho. Vai ficar frio novamente no meio da noite”.

Mas o pássaro Han Hao ainda desta vez não ouviu. “Está quente sob o sol! Contanto que eu possa obter este calor, vou continuar neste caminho”, disse.

Assim, o pássaro Han Hao continuou a deambular junto, dia após dia, até que finalmente congelou numa noite no frio gélido.

Esta lenda se baseia em uma história encontrada em uma coleção de registros intitulada “Chuogeng Lu (輟 耕 錄),” ou “Registros Compilados Após Aposentar-se na Fazenda”, escrito por Tao Zongyi (陶 宗儀), um estudioso que viveu durante o fim da Dinastia Yuan (1271-1368 dC) e o início da Dinastia Ming (AD 1368-1644).

O pássaro Han Hao pode não ser um pássaro real, mas essas mesmas características podem de fato às vezes ser vistas em pessoas reais, como a arrogância, complacência, miopia, e fazer ouvidos surdos aos bons conselhos.

A história nos lembra que a melhor maneira de olhar para um futuro brilhante é planejar o amanhã, considerar as consequências a longo prazo de tomar ou não tomar medidas hoje, e trabalhar duro e se esforçar para criar o futuro que queremos.

 
Matérias Relacionadas