Janot aciona Supremo para anular artigos da reforma trabalhista

O procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, moveu uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando trechos da reforma trabalhista.

O artigo questionado autoriza que sejam cobrados custos processuais de trabalhadores que teriam direito à Justiça gratuita. Janot pede ao Supremo a concessão de uma liminar que suspenda a aplicação desse artigo. A reforma trabalhista entrará em vigor em novembro.

De acordo com Janot, os procedimentos são inconstitucionais porque não permitem o acesso ao Judiciário dos trabalhadores de renda mais baixa ou sem condições de pagar os custos na Justiça do Trabalho.

Com a finalidade de diminuir a quantidade de processos na Justiça, a reforma trabalhista permite a cobrança dos custos da ação no caso de o empregado perder o processo, ainda que ele possua o direito à gratuidade.

Janot disse que a legislação contraria o direito básico dos trabalhadores pobres ao atendimento judicial gratuito.

Leia também:
Justiça suspende venda do cartão de crédito Santander Free
MPF manda reabrir Investigação penal sobre pedaladas fiscais de Dilma
Temer viaja à China para cúpula do Brics e divulgará projetos de privatização

 
Matérias Relacionadas