Israel quer ajudar a reconstruir Gaza em troca do desarmamento do Hamas

Israel e os países árabes devem trabalhar juntos para reconstruir a Faixa de Gaza enquanto desarmam os militantes do Hamas que controlam o território, disse o ministro das Finanças israelense, Yair Lapid, neste domingo (31/08).

Lapid fez os comentários quase uma semana após Israel e os militantes do Hamas chegarem a um acordo de trégua para dar fim ao conflito mais recente em Gaza, que durou quase dois meses e destruiu a região.

“Nós precisamos de uma conferência regional com os egípcios, os sauditas, os Estados do Golfo”, disse o ministro – membro do partido de centro Yesh Atid: “Essa conferência deveria focar em uma coisa, assegurar que a reabilitação ocorra junto com a desmilitarização”.

Ele não esclareceu como prevê a desmilitarização do grupo terrorista em Gaza, já que o Hamas prometeu nunca desistir de suas armas. Lapid também não deixou claro quão receptivos foram os países árabes – alguns deles, como a Arábia Saudita, sem laços formais com Israel – à idéia da conferência.

Ele não disse se algum país já havia sido consultado sobre a proposta. O Hamas, no entanto, reafirmou sua decisão de continuar armado.
“Essa é uma demanda estúpida, e ninguém do povo palestino iria concordar com uma coisas dessas. Nossas armas são usadas para defender nosso povo, e esse direito foi garantido pelos céus e pelas leis humanas”, criticou o porta-voz do grupo em Gaza, Mushir al-Masri.

Também neste domingo, Israel anunciou que iria começar a expropriar mil acres de terra na Cisjordânia, uma medida que poderia abrir espaço para a construção de um novo assentamento judeu.

Vide Versus

 
Matérias Relacionadas