Israel e Hamas aceitam se reunir no Cairo para reforçar a trégua

Por Agência EFE

Delegações de alto nível de Israel e do movimento palestino Hamas concordaram em se reunir na próxima semana no Cairo para reforçar a trégua estabelecida há uma semana com a mediação do Egito e abordar questões como a reconstrução de Gaza e a troca de reféns.

O Ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi, conduzirá a delegação israelense a esta reunião “no início da próxima semana”, segundo confirmou nesta quinta-feira a “Galatz”, emissora de rádio oficial do exército de Israel.

Já o Hamas será representado pelo chefe político do movimento, Ismail Haniyeh, que irá ao Cairo “nos próximos dias” para “discutir a estabilização do cessar-fogo com Israel na Faixa de Gaza”, segundo informou o movimento em nota.

Israel e o Hamas concordaram na semana passada com uma trégua que pôs fim a 11 dias de escalada de violência entre as tropas israelenses e as milícias palestinas, que deixou 253 mortos em Gaza e 13 em Israel.

Enquanto se aguarda mais pormenores sobre o formato das reuniões, não está claro se as duas delegações se sentarão oficialmente à mesma mesa de negociações ou se realizarão reuniões separadas com os mediadores, em um papel liderado por Egito, Jordânia e pela ONU.

Por sua parte, os meios de comunicação israelenses anteciparam hoje que o formato será de “conversas indiretas”.

No entanto, quando consultado pela Agência Efe, o porta-voz de Exteriores de Israel nem sequer confirmou a viagem de uma delegação ao Cairo, argumentando que “não há comentários sobre esta questão”, uma vez que Israel geralmente não informa sobre possíveis contatos com representantes do Hamas, por considerá-lo um grupo terrorista.

“O objetivo é chegar a um entendimento sobre o cessar-fogo e as possibilidades de ajudar a Faixa de Gaza”, destacou a reportagem da emissora “Galatz” sobre essas reuniões.

O Hamas também afirmou em sua nota que o objetivo dos contatos no Cairo é “estabilizar o cessar-fogo” e “abordar a reconstrução da Faixa”, além de confirmar que Haniyeh será o chefe da delegação.

“O Hamas não tem objeções a permitir doações através de agências internacionais ou países doadores para a Faixa de Gaza sem a interferência do movimento”, escreveu hoje no Twitter o porta-voz do Hamas, Abu Marzouk.

O Egito mediou para alcançar a trégua da semana passada entre Israel e o movimento islamita e tem sido tradicionalmente o principal interlocutor entre o governo israelense e as milícias palestinas, bem como entre as diferentes facções palestinas.

 

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas