Hunter Biden possui ainda mais laços com a China e o Kremlin, afirmam senadores republicanos

Novo documento confirma conexões entre a família de Biden e o PCC

Por Jack Phillips

Os senadores Chuck Grassley (R-Iowa) e Ron Johnson (R-Wisc.) divulgaram mais detalhes na quarta-feira sobre os acordos comerciais internacionais do filho do candidato democrata à presidência Joe Biden, juntamente com supostos laços com estrangeiros vinculados ao Partido Comunista Chinês (PCC) e Moscou.

De acordo com um comunicado de imprensa dos dois senadores republicanos, a nova informação cita novos registros que pretendem revelar que a família Biden tinha ainda mais conexões com o regime chinês e ligações entre os associados de Hunter Biden e o governo russo.

“Algumas das descobertas adicionais de sua investigação incluem milhões de dólares enviados por uma empresa sediada em Xangai com laços com o CEFC, que era efetivamente uma extensão do governo comunista chinês, para um parceiro comercial próximo de Hunter Biden”, disseram as autoridades. O CEFC é uma empresa fundada pelo bilionário Ye Jianming, que se acredita ter ligações com o PCC.

Ambos os senadores citaram uma entrevista da Fox News com um ex-sócio de negócios da família Biden, Tony Bobulinski, o CEO de uma antiga joint venture entre James Biden, Hunter Biden e dois outros. Bobulinski disse no mês passado que o ex-vice-presidente e sua família estão “comprometidos” com a China, acrescentando: “Obviamente, mencionei que fiz uma Q-clearance – você é informado sobre o compromisso e com quem pode conversar, negociar e fazer negócios – e não vejo, dada a história aqui e os fatos, como Joe não poderia ser influenciado de forma alguma com base na história que eles têm com o CEFC”.

Enquanto isso, em seu relatório suplementar (pdf), os dois senadores republicanos observaram que em fevereiro de 2017 e março de 2017, uma “empresa com sede em Xangai chamada State Energy HK Limited enviou duas transferências, cada uma no valor de USD 3.000.000, para uma conta bancária da Robinson Walker LLC”, enquanto os registros indicaram que” não está claro qual é o verdadeiro propósito por trás dessas transações e quem é o beneficiário. A Robinson Walker LLC é operada por Rob Walker, um parceiro de longa data de Hunter Biden.

Os dois senadores disseram que Walker parece ter estado associado a três empresas ligadas à Hunter Biden, incluindo Oldaker, Biden e Belair LLP; Seneca Global Advisors; e Rosemont Seneca Advisors. Hunter Biden foi sócio fundador da Oldaker e supostamente também tinha uma participação na propriedade na Seneca.

“Essas transações são um vínculo direto entre Walker e o governo comunista chinês e, por causa de sua estreita associação com Hunter Biden, mais um vínculo entre os arranjos financeiros de Hunter Biden e o governo comunista chinês”, escreveram os senadores.

Joe Biden negou repetidamente que estava ciente dos negócios de Hunter Biden, e a campanha de Biden rejeitou relatos de que ele, seu filho e um associado de uma empresa de gás ucraniana se conheceram em Washington, D.C. há vários anos. Durante o debate presidencial final, Biden também disse que não houve “nada antiético” quando Hunter esteve no conselho da empresa de gás Burisma Holdings.

Tony Bobulinski, que afirma ter sido um parceiro de Hunter Biden, fala a repórteres em um hotel em Nashville, Tennessee, antes do último debate presidencial em 22 de outubro de 2020 (Mandel Ngan / AFP via Getty Images)
Tony Bobulinski, que afirma ter sido um parceiro de Hunter Biden, fala a repórteres em um hotel em Nashville, Tennessee, antes do último debate presidencial em 22 de outubro de 2020 (Mandel Ngan / AFP via Getty Images)

Enquanto isso, Grassley e Johnson disseram que também encontraram registros produzidos por Bobulinski, datados de 15 de maio de 2017, que incluíam planos para o CEFC em Omã, Romênia, Colômbia e Luxemburgo, entre outros países. Esse documento, em referência aos planos em Omã, mostrou que Hunter Biden “foi fundamental no relacionamento estabelecido, transmitindo a boa vontade em torno do presidente [Ye Jianming] e o status de não conflito da entrada no CEFC, ‘uma ponte entre duas grandes nações’”.

O documento também sugeria que Hunter teria sido responsável por “escrever a todas as partes e organizar reuniões para continuar a promover o CEFC [sic], bem como aprovar elementos estratégicos e operacionais passo a passo”, de acordo com seu relatório.

De acordo com Grassley e Johnson, Ye Jianming também tinha negócios com empresas controladas pelo Kremlin e empresas alinhadas ao Kremlin, sugerindo que ele “parece ter sido a ponte não oficial da China para a Rússia em matéria de energia”. Em uma mensagem de texto, Hunter Biden teria dito a Bobulinski em outubro de 2017 que ele havia discutido um acordo com a Rosneft, apoiada pelo Estado russo, com Ye pessoalmente e tinha conhecimento do acordo.

O filho do ex-vice-presidente também supostamente disse a Bobulinski que falava com Ye “regularmente” e tinha uma “ligação permanente uma vez por semana”. Ye também foi “o primeiro hóspede em seu novo apartamento”, “ele mesmo preparou o almoço para mim e nós comemos na cozinha juntos”, e estava ajudando Ye “em uma série de questões pessoais (vistos de funcionários e algumas coisas mais sensíveis)”, de acordo com o texto de Hunter Biden citado por Grassley e Johnson.

Os dois senadores disseram que o novo documento confirma conexões entre a família de Biden e o PCC. O suplemento também inclui capturas de tela do que parece ser dados CEFC e mensagens de texto produzidas por Bobulinski.

A equipe de Biden não respondeu a um pedido de comentário sobre os últimos desenvolvimentos. O Epoch Times também entrou em contato com o advogado de Hunter Biden para comentar sobre o ocorrido.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas