Guaidó quer oposição fora das legislativas na Venezuela

Por EFE

Caracas, 3 set – O líder da oposição da Venezuela, Juan Guaidó, convocou nesta quinta-feira a montagem de um comando antifraude nas próximas eleições legislativas e pleiteou um boicote à votação, indo na contramão do que havia sido pedido ontem por outro rival do regime, Henrique Capriles.

“Agora devemos formar o comando ‘não à fraude’, entrar em modo de campanha. Temos que tornar efetiva a luta para conseguir essa mudança que urge a todos os venezuelanos”, declarou Guaidó em reunião com o partido de oposição Acción Democrática (AD).

Durante a reunião, o atual presidente da Assembleia Nacional reiterou que o que está sendo proposto não é uma eleição, e sim a construção de um muro. Em sua visão, não há condições para garantir eleições “justas, livres e verificáveis”.

Guaidó formou ao seu redor um bloco de 27 partidos que se recusaram a participar das eleições legislativas, mas nesta quarta-feira o duas vezes candidato à presidência, Henrique Carpiles, abandonou a proposta.

“Eles fazem tudo porque não é um regime democrático, mas, se deixar uma pequena brecha, temos que colocar a mão e depois o pé, para que a porta não se feche. Ninguém teria imaginado que eles iriam sair da prisão, talvez haja uma pequena brecha”, argumentou Capriles.

Embora Guaidó não tenha se referido diretamente à proposta do também opositor e integrante do grupo Primeira Justiça, um dos partidos que se recusaram a participar das eleições, ele afirmou que não se pode dar legitimidade à ditadura, em referência ao regime de Nicolás Maduro.

“Não participar da fraude do 6D (6 de dezembro) é uma decisão política, e é por isso que 27 partidos tornaram pública sua rejeição. Uma posição a que outros setores aderiram”, destacou o atual presidente da Assembleia Nacional.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas