Fortes chuvas atingem rio Yangtze novamente, invadindo cidades e deixando muitos desabrigados

Por Nicole Hao

As inundações resultantes das fortes chuvas nas províncias de Shaanxi e Sichuan causaram o transbordamento do rio Yangtze nos últimos dias, inundando cidades nas regiões ocidentais da China.

O nível da água do Yangtze na cidade de Chongqing pode ultrapassar o nível de segurança em 19 de agosto, o que significa que uma violação dos diques pode ocorrer a qualquer momento, de acordo com a emissora estatal CCTV, que citou autoridades.

O Conselho de Estado chinês, semelhante a um gabinete, disse em uma entrevista coletiva em 13 de agosto que as chuvas nas áreas ao longo dos rios Yangtze e Huai atingiram seus níveis mais altos desde 1961.

Uma mulher usa uma bicicleta para atravessar uma rua inundada após uma chuva repentina em Pequim em 9 de agosto de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)
Uma mulher usa uma bicicleta para atravessar uma rua inundada após uma chuva repentina em Pequim em 9 de agosto de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)

Enquanto isso, o vice-ministro do país para gestão de emergências, Zhou Xuewen, revelou inadvertidamente que mais de 4 milhões de pessoas foram evacuadas de suas casas durante as enchentes deste ano.


As chuvas começaram a se mover para o norte em direção às áreas onde os rios Amarelo, Hai, Songhua e Liao se encontram. O Rio Amarelo está inundado desde 11 de agosto, mas as autoridades não falam sobre o impacto.

Duas inundações

O Comitê do Rio Yangtze do Ministério de Recursos Hídricos da China anunciou em 16 de agosto que um novo pico de inundação se formou no rio Jialing, um importante afluente do Yangtze, e entrou no Yangtze perto de Chongqing, uma cidade extensa com mais 30 milhões de habitantes.

O pico da inundação do rio Jialing deve desencadear outro pico de inundação no Yangtze em 19 de agosto, de acordo com o comitê.

A área do alto rio Yangtze também está ameaçada por fortes chuvas, disseram as autoridades de Chongqing em 16 de agosto. As inundações do rio Jialing e da parte superior do rio Yangtze podem fazer com que o nível de água deste último exceda seu limite seguro em 19 de agosto.

Enquanto isso, áreas baixas nas cidades de Meishan, Guangyuan e Deyang na província de Sichuan e Chongqing foram submersas por enchentes desde 13 de agosto, de acordo com vídeos que os residentes compartilharam com o Epoch Times.

Inundações também foram registradas em Lueyang, um condado da província de Shaanxi. Às 16h10 do dia 16 de agosto, o governo do condado ordenou que todos os residentes, independentemente das áreas rurais ou urbanas, se mudassem para pelo menos o terceiro andar de edifícios com mais de seis andares.

O governo também listou nove complexos residenciais que disse serem velhos demais para serem protegidos contra possíveis inundações.

Mais cidades em Sichuan, como Chengdu, Ngawa e Mianyang, também registraram graves inundações em 16 de agosto.

Enquanto isso, chuvas fortes também causaram inundações ao longo de diferentes partes do Rio Amarelo, especificamente na cidade de Linyi na província de Shandong e na cidade de Longnan na província de Gansu. A água da chuva submergiu aldeias e causou deslizamentos de terra.

Não está claro quantas pessoas foram afetadas; não havia informações sobre mortes ou pessoas desaparecidas.

Impacto

Embora as fortes chuvas tenham causado enchentes históricas desde junho, as autoridades se recusaram a revelar todas as consequências do desastre. Os residentes disseram ao Epoch Times que as autoridades proibiram as pessoas de postar informações online e impediram as pessoas de entrar nas vilas afetadas por deslizamentos de terra.

Durante a coletiva de imprensa, Zhou admitiu que em todo o país, mais de 63 milhões de pessoas foram afetadas pelas enchentes neste ano e mais de 4 milhões foram forçadas a deixar suas casas.

Um homem olha para uma rua inundada após uma chuva repentina em Pequim em 9 de agosto de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)
Um homem olha para uma rua inundada após uma chuva repentina em Pequim em 9 de agosto de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)

Daqueles que perderam suas casas, Zhou disse que 17.500 deles foram resgatados ou evacuados pelos bombeiros; mais de 3,98 milhões de pessoas ficaram para escapar das enchentes por conta própria.

Zhou também disse que dois terços das terras na província de Jiangxi foram submersos por enchentes antes da colheita.

De acordo com o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China, o país inteiro possui 42,13 milhões de hectares (cerca de 104,1 milhões de acres) de terras agrícolas de relativamente boa qualidade. Grande parte está nas regiões da bacia de drenagem dos rios Yangtze, Huai e Amarelo, onde as piores enchentes ocorreram este ano.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:
 
Matérias Relacionadas