Filho de funcionário público é preso acusado de ligação com caso Ronaldinho

Por EFE

Assunção, 20 abr – A polícia do Paraguai prendeu nesta segunda-feira Wilson Arellano, filho de um funcionário do departamento de migrações do país, que é acusado de envolvimento na produção dos documentos falsos utilizados por Ronaldinho Gaúcho e Assis, que fizeram com que os irmãos fossem detidos.

A informação de prisão realizada hoje, que acontece em Assunção, foi confirmada pelo Ministério Público local.

De acordo com o MP, Arellano seria um dos responsáveis por tramitar os documentos falsos que chegaram até Ronaldinho e Assis, através da empresária paraguaia Dalía López, também apontada como envolvida no caso e que é tratada como fugitiva pela justiça.

Ainda segundo as informações da promotoria, o detido será acusado por uso e produção de documentos falsos e associação criminosa.

Os crimes são os mesmos que recaem contra López, que é apresentada como a chefe de uma rede dedicada a elaborar e utilizar identidades e passaportes de conteúdo falso.

Ronaldinho e Assis foram recebidos pela empresária no aeroporto internacional de Assunção em 4 de março, quando utilizaram passaportes adulterados para entrar no Paraguai.

Os dois ex-jogadores ficaram um mês em um quartel da polícia local, que serve como penitenciária, até que, duas semanas atrás, um juiz determinou que poderiam ficar em regime domiciliar, sob pagamento de fiança de US$ 1,6 milhão.

Desde então, ambos estão em um hotel no centro de Assunção, sob vigilância de agentes e proibidos de sair do Paraguai.

 
Matérias Relacionadas