Famílias venezuelanas estão encontrando cada vez mais dificuldade para se alimentar

Comer três vezes ao dia se tornou uma tarefa difícil para milhares de famílias na Venezuela

Por VOA

A pobreza na Venezuela atingiu 73% das famílias este ano, o que é considerado um recorde histórico. Isso é indicado por um relatório sobre as condições de vida realizado por uma renomada ONG de ajuda humanitária.

Comer três vezes ao dia se tornou uma tarefa difícil para milhares de famílias na Venezuela. De acordo com o relatório mais recente da organização de ajuda humanitária World Vision International, 7 em cada 10 famílias não têm comida suficiente para sobreviver, devido ao agravamento da situação familiar em termos de renda.

Uma das causas é, conforme indicado, que a inflação galopante atingiu com maior intensidade os setores mais vulneráveis.

Pessoas procuram comida fora de um supermercado saqueado no bairro de El Valle, em Caracas, em 21 de abril de 2017 (RONALDO SCHEMIDT / AFP via Getty Images)
Pessoas procuram comida fora de um supermercado saqueado no bairro de El Valle, em Caracas, em 21 de abril de 2017 (RONALDO SCHEMIDT / AFP via Getty Images)

Diante deste contexto, a equipe da Voz da América em Caracas, mudou-se para o populoso bairro de Chapellín, localizado no centro da cidade, onde os cidadãos expressaram as dificuldades que têm em acessar o básico.

“Vou te dizer da minha parte: sou uma pessoa que ainda trabalha, tenho um salário, fiz três refeições e agora como duas, porque não tenho dinheiro para comer três vezes, mas fico assim. Nem todos, mas a maioria, atualmente as pessoas estão morrendo de fome”, disse Lauro Castillo, uma das pessoas consultadas, à VOA.

Mulher segura dois sacos de farinha após fazer fila em frente a um supermercado em Caracas (Venezuela) para comprar alimentos básicos e produtos domésticos em 10 de novembro de 2017 (FEDERICO PARRA / AFP via Getty Images)

Mulher segura dois sacos de farinha após fazer fila em frente a um supermercado em Caracas (Venezuela) para comprar alimentos básicos e produtos domésticos em 10 de novembro de 2017 (FEDERICO PARRA / AFP via Getty Images)
Mulher segura dois sacos de farinha após fazer fila em frente a um supermercado em Caracas (Venezuela) para comprar alimentos básicos e produtos domésticos em 10 de novembro de 2017 (FEDERICO PARRA / AFP via Getty Images)

Por sua vez, María Blanco, outra consultada, indicou: “A situação é crítica, é muito forte, porque tudo se vende em dólares e cobramos em bolívares, e isso não dá um equilíbrio para realmente comprar o que se precisa”.

No entanto, outros destacam que os planos alimentares subsidiados pela disputada administração do país, a preços muito baixos, são um importante paliativo das necessidades alimentares dos cidadãos.

“O governo sempre ajuda com a caixa de alimentos do CLAP, que estabiliza bastante as coisas. Aqui eles trazem comida de toda a Venezuela, a única coisa é que é muito caro, eles não atingem o salário”, explica José Pacheco.

O estudo especifica que, em média, os venezuelanos que vivem em extrema pobreza no país recebem uma renda que só lhes permite comprar 0,9% da cesta básica, para uma família de cinco pessoas. Para solucionar essa situação, eles deveriam receber 116 salários mínimos.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas