Exposição da Arte de Zhen-Shan-Ren atrai 8.500 pessoas em Londres

Mais de 8.500 londrinos e turistas visitaram a Exposição Internacional da Arte de Zhen-Shan-Ren (Verdade-Compaixão-Tolerância) durante 19 dias na Galery@OXO, que terminou em 26 de outubro de 2014.

Na margem sul do rio Tamisa, a galeria está localizada na Torre Oxo, lar de um conjunto de design, artes e lojas de artesanato e o restaurante Torre OXO. Foi a segunda vez este ano que a exposição foi realizada num local de alta qualidade. A primeira foi realizada em 6 a 16 de agosto, 2014, no IL Bottaccio, próximo ao Hyde Park e ao Buckingham Palace Garden.

O espírito dos cultivadores do Falun Dafa suportando perseguição brutal mostrado nas obras tocou muitas almas, incluindo as de artistas profissionais.

Colecionadora e revendedora de arte: “despertar as pessoas na Inglaterra, para o que realmente está acontecendo”

Julia Korner, membro eleito da Associação Britânica dos Revendedores de Antiquários, da Associação Britânica de Restauradores e Conservadores de Pinturas e de outras associações de artistas, deu um discurso na cerimônia de abertura da exposição.

Korner disse: “Eu acho que esta exposição merece ser anunciada tanto quanto for possível. Por favor, falem sobre ela. Estas imagens contam uma história, fundamental e vital; e eu tenho admiração incalculável pela bravura desses artistas por fazerem uma exposição como essa.

“Você olha para estes quadros e eles nos movem às lágrimas; você vê a paz e o silencioso e tranquilo protesto que emerge. A forma como esses indivíduos torturados são retratados nas pinturas, capazes de ficar de fora dos seus próprios corpos oprimidos, erguerem-se por justiça e olharem o horror sombrio da tortura na sua face. Eu estou realmente tocado pelo que esta sociedade esta noite, esta caridade, está fazendo para despertar as pessoas na Inglaterra, para o que realmente está acontecendo.”

Designer de moda: “Eu vejo isso como uma batalha entre o bem e o agentes do mal”

Norah, uma designer de moda local, foi uma dos convidadas que foram tocadas pela resistência pacífica dos praticantes do Falun Gong contra a perseguição.

Ela disse: “Quando você olha para a obra, pessoalmente, eu realmente vejo isso como uma batalha entre o bem e o agentes do mal. Mas a coisa mais estranha é a pintura da mulher que levita chamada “Choque”, quando as pessoas veem isto ou testemunham milagres, de repente, têm a sensação de que há algo maior do que o seu próprio poder e é aí que as coisas podem mudar as pessoas.

“Há um ditado que vem à minha mente ‘O mal floresce quando os homens bons não fazem nada. Você vai se tornar um parceiro do crime se você não se erguer e falar [contra ele]. É preciso coragem, mas por que estamos aqui, se não é para o nosso próximo?'”

Norah sentiu pena pelos torturadores e as pessoas que estão fazendo os praticantes sofrerem, porque ela acredita que: “Eles vão carregar isso, já que é um pecado que eles vão levar para a próxima vida e a próxima e a próxima.”

Terasa Potocka, fundadora da empresa de mídia privada Comunicação Potosky, sentiu o mesmo sobre a pintura “Choque”.

“A pintura com a menina sendo elevada (Banhada em nobre luz) é um tema que tem a ver com a violência ser invisível, para que você não possa necessariamente vê-la. Então, ela é na verdade um ícone para a comunidade e para a sociedade, que ajuda as pessoas a acreditarem em algo, terem fé.”

Para a sra. Potocka as obras de arte são “sobre encontrar a sua própria identidade, encontrar o que você pode fazer e dar a volta ao mundo e ajudar outras pessoas por meio do que você está fazendo, que é muito poderoso. É como se fôssemos portadores de uma mensagem que ajuda e ilumina os outros.”

Ela disse: “Pelos pensamentos que foi colocados nelas, cada obra de arte tem uma mensagem muito poderosa.”

Conforme o gerente da IL Bottaccio disse na cerimônia de abertura: “As obras de arte manifestam o valor central do Falun Gong de Verdade-Compaixão-Tolerância, simples, mas muito poderoso e os praticantes do Falun Gong seguem este princípio para resistir à perseguição do mal.”

Minghui.org

 
Matérias Relacionadas