EUA têm um compromisso “sólido como uma rocha” para ajudar Taiwan a se defender, afirma um diplomata sênior

Por Dorothy Li

Enquanto o regime comunista na China aumenta sua pressão contra Taiwan, os Estados Unidos precisam ajudar a nação insular a manter uma capacidade de autodefesa suficiente, disse o principal diplomata dos EUA para a Ásia em 2 de dezembro.

“À medida que a ameaça e a coerção da República Popular da China aumentam, acho que precisamos responder também de maneira apropriada”, disse Daniel Kritenbrink, secretário de Estado adjunto para Assuntos do Leste Asiático e Pacífico, a repórteres em Cingapura, citando especificamente o apoio sobre autodefesa e comércio.

Embora os Estados Unidos não tenham relações diplomáticas com Taiwan, eles mantêm laços sólidos com a ilha democrática sob uma estrutura estabelecida na Lei de Relações com Taiwan, que obriga Washington a fornecer a Taipei os meios para se defender.

“Pretendemos cumprir nossas obrigações: nossas obrigações e compromissos sólidos como uma rocha”, disse Kritenbrink, que está visitando o Sudeste Asiático.

O comentário veio no momento em que o crescente assédio militar de Pequim contra a ilha autogovernada gerou um alarme crescente em Taipei e Washington.

Em 27 de novembro, Pequim enviou 27 aeronaves militares para a zona de defesa aérea de Taiwan, o maior número de aeronaves do mês. Taiwan registrou apenas um dia em novembro sem tal incursão.

O ministério da defesa da ilha disse a repórteres à margem de uma instrução parlamentar que as incursões “ininterruptas” do regime tornaram as situações através do Estreito “particularmente sombrias”.

O ministro da defesa descreveu anteriormente as tensões militares com seu vizinho como as piores que ele já viu em 40 anos, alertando que o regime teria a capacidade de lançar uma invasão em grande escala até 2025.

O regime chinês nunca renunciou ao uso da força para tomar a ilha democraticamente governada. A presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, disse que a ilha não busca confronto militar, mas “faria o que fosse necessário para se defender”.

Pequim também alertou que Taiwan é o assunto mais delicado em suas relações com Washington.

Washington mantém uma política de longa data em relação a Taiwan, conhecida como “ambiguidade estratégica”, o que significa que os governos dos EUA foram deliberadamente vagos sobre se defenderiam a ilha no caso de uma invasão chinesa. No entanto, os Estados Unidos são o fornecedor de armas e o financiador internacional mais importante da ilha.

Em 25 de novembro, uma delegação do Congresso dos EUA se encontrou com Tsai em uma visita surpresa de um dia a Taipei, reafirmando o apoio “sólido como uma rocha” de Washington.

“Nosso compromisso com Taiwan é sólido como uma rocha e permaneceu firme conforme os laços entre nós se aprofundaram”, disse o deputado Mark Takano (D-Calif.) a Tsai. “Taiwan é uma história de sucesso democrático, um parceiro confiável e uma força do bem no mundo.”

A Reuters contribuiu para este relatório.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas