EUA tacham TPI de ilegítimo e rejeitam “ideologia do global”

"Nunca cederemos a soberania norte-americana a uma burocracia que não presta contas nem foi escolhida por ninguém"

Por Agência EFE

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (25) na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que o Tribunal Penal Internacional (TPI) não tem “legitimidade nem autoridade” e rejeitou a “ideologia do global”, que seria uma “ameaça à soberania nacional e ao patriotismo”.

“O TPI não tem jurisdição, legitimidade nem autoridade. Nunca cederemos a soberania norte-americana a uma burocracia que não presta contas nem foi escolhida por ninguém. Rejeitamos a ideologia do global e defendemos a doutrina do patriotismo”, disse Trump em seu discurso na ONU.

Há alguns dias, a Casa Branca ameaçou sancionar o TPI se continuasse com os planos de abrir uma investigação formal sobre possíveis crimes de guerra e contra a humanidade cometidos na década passada por norte-americanos no combate ao terrorismo no Afeganistão.

Os Estados Unidos não fazem parte do TPI, já que não assinaram o Estatuto de Roma, mas o tribunal considera que os supostos crimes poderiam ser investigados porque teriam acontecido em países que ratificaram o documento.

O discurso de Trump na ONU conteve uma firme rejeição ao multilateralismo, com o argumento de que “as nações soberanas e independentes são as únicas nas quais a paz prosperou”.

“Juntos, escolhemos um futuro de patriotismo, prosperidade e orgulho”, pediu aos presentes na Assembleia Geral.

 
Matérias Relacionadas