Escândalo de areia interrompe construção do maior edifício da China

Um diagrama de como o Centro Financeiro Internacional de Ping’an se parecerá (se for completado) em 2015 (Weibo.com)

A construção do edifício mais alto da China foi embargada enquanto uma investigação dos desenvolvedores locais está em andamento para verificar a existência de concreto corrosivo feito com areia do mar.

O Centro Financeiro Internacional de Ping’an (CFIPA) está entre muitos edifícios que estão sendo fiscalizados após uma investigação de toda a indústria ter sido iniciada pela Secretaria de Imóveis e Construção de Shenzhen.

Em 17 de março, um repórter do Diário Nacional de Negócios visitou o canteiro de obras do CFIPA, onde vários trabalhadores confirmaram que a construção foi interrompida.

A empresa Materiais de Construção Dongdayang Co., principal fornecedora de concreto de Shenzhen, teve seu certificado de qualificação revogado e outras empresas envolvidas no escândalo tiveram seus negócios suspensos.

Um diagrama de como o Centro Financeiro Internacional de Ping’an se parecerá (se for completado) em 2015 (Weibo.com)

Usar concreto feito com areia do mar pode afetar seriamente a qualidade de construção, porque o sal e o cloreto corroem a estrutura de aço, o que pode levar o edifício a entrar em colapso. Especialistas dizem que, mesmo se grandes quantidades de areia do mar forem incorporadas num edifício, pode demorar várias décadas para eles se tornarem condenados, segundo o jornal Expresso Moderno.

Como a areia do mar é significativamente mais barata do que a de rio, os desenvolvedores têm grandes lucros se usam concreto abaixo do padrão. O fornecimento ilegal de areia do mar para usinas de mistura de concreto é considerado prática comum na área do Delta do Rio Pérola.

Localizado no centro de Shenzhen, o desenvolvimento do CFIPA cobre uma área total de construção de 459.187 metros quadrados (45,93 hectares) e sua conclusão está prevista para 2015. O edifício de 115 andares chegará a uma altura de 660 metros, com mais cinco pisos subterrâneos. Quando a construção foi interrompida, cerca de 80 metros já haviam sido construídos.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas