Enterro de policial atrai milhares de pessoas em Nova York

Milhares de policiais de diferentes corporações dos Estados Unidos compareceram ao funeral do policial Rafael Ramos, assassinado em Nova York na semana passada. O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, também foram à cerimônia.

Leia também:
A tragédia de Ferguson e a guerra contra a verdade
Como um cidadão comum driblou a mídia e desmoralizou o Obamacare
Estados norte-americanos processam governo Obama por ordem executiva de imigração

Ramos, de 40 anos, foi morto ao lado do seu colega Wenjian Liu, de 32 anos, no dia 20 de dezembro, quando estava dentro de uma viatura. Eles foram baleados por Isamaaiyl Brinsley, que cometeu suicídio logo depois.

Em uma rede social, Brinsley justificou o crime afirmando que ele era uma vingança contra a polícia por causa da morte recente de Michael Brown e Eric Garner – dois negros que foram mortos em incidentes distintos por policiais.

As ruas das redondezas da igreja onde ocorreu a cerimônia, no bairro do Queens, ficaram lotadas de policiais de Nova York e de outras cidades dos Estados Unidos, como Boston, Atlanta e Nova Orleans.

O vice-presidente Joe Biden falou no início da cerimônia deste sábado. “Quando a bala do assassino alvejou dois policiais, ela atingiu a cidade e tocou a alma de uma nação inteira”, disse.

Biden também classificou a polícia de Nova York como o “melhor departamento do mundo”. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, por sua vez, disse que os disparos foram “um ataque contra todos nós”.

O funeral de Wenjian Liu ainda não tem data prevista. De acordo com a imprensa americana, ele deve ser realizado assim que a sua famílía, que mora na Ásia, chegar aos Estados Unidos.

 
Matérias Relacionadas