Em sua busca pela felicidade, mulher de 74 anos descobre a meditação do Falun Dafa

Milagres aconteceram um após o outro, eu conseguia dormir tranquilamente e acordar de manhã sentindo-me renovada

Por Daksha Devnani, Epoch Times

Esta é a história de uma vietnamita de 74 anos chamada Van, que descobriu a verdadeira felicidade na terceira idade. Tendo vivido uma vida cheia de preocupações e ressentimentos, ela encontrou esperança onde menos esperava.

Eu sou da cidade de Thai Nguyen no Vietnã. Cresci sem conhecer meus pais. Eu sou de uma família de seis filhos e, sendo irmãos, nos separamos e fomos viver nossas vidas.

Um fardo repentino para a família

Desde o começo, a vida tem sido bem generosa comigo. Eu amadureci muito cedo e vivenciei uma boa fase como adulta. Eu me casei com um homem amoroso e dei à luz a dois lindos filhos, um menino e uma menina. Nós estávamos passando por um momento de imensa felicidade e paz. Infelizmente, as dificuldades começaram a acontecer em 1993, quando fiquei sabendo que meu marido havia tomado emprestado uma quantia enorme de dinheiro e perdido tudo no jogo. Fiquei muito abalada com esta notícia.

Eu me casei com um homem amoroso e dei à luz a dois lindos filhos, um menino e uma menina (DKN.TV)
“Eu me casei com um homem amoroso e dei à luz a dois lindos filhos, um menino e uma menina” (DKN.tv)

Meu marido era introvertido, e não compartilhou comigo o que se passava em sua mente. Eu era capaz de administrar e cuidar da minha família de forma independente, sem o apoio dele, mas desta vez, ao me deparar com uma dívida tão grande, eu me senti totalmente desamparada. Eu estava envergonhada e traumatizada pelo que ele tinha feito. Eu estava ciente de que eu não poderia dar as costas para ele em um momento tão crucial. Assim, vendi minha casa para pagar a dívida e acabamos mudando para outro lugar. Por dentro eu estava arrasada, mas decidi dar-lhe uma outra chance e seguir em frente, em vez de culpá-lo por essa miséria.

Definhando de tanto trabalhar

Meu marido viajou para o sul para tentar ganhar mais dinheiro. Eu tive que criar meus dois filhos sozinha, e desta forma, tive que assumir todas as responsabilidades. Trabalhei tanto durante esse período que minhas costas se curvaram e eu não conseguia mais ficar de pé. Meu trabalho consumia toda a minha energia, eu me sentia exausta e vazia.

Van com seu filho no Vietnã (DKN.tv)
Van com seu filho no Vietnã (DKN.tv)

Em seguida,  a doença atacou meu ponto mais fraco e se alimentou da minha vulnerabilidade. Comecei a sofrer de dor crônica, osteoartrite, hérnia de disco, ciática, faringite crônica e disfunção intestinal.

Depois que me aposentei, decidi abrir uma pequena mercearia, mas lutei muito para conseguir ser bem sucedida. Por estar doente o tempo todo, passei a procurar hospitais próximos do meu bairro e os visitava com frequência. Como nada ajudou, comecei a procurar abordagens alternativas e tentei acupuntura com um médico famoso também, mas isso não pareceu ter nenhum efeito e minha condição só piorou ao longo de um período de tempo. Eu senti como se a doença e eu tivéssemos um laço inseparável de forma que ela me obrigava a ser sua escrava. Por fim, gastei todas as minhas economias em tratamentos médicos.

A descoberta de um caminho espiritual rumo à “verdadeira felicidade”

Em outubro de 2013, me deparei com um grupo de pessoas quando voltava para casa. Eu os ouvi discutindo a respeito de uma prática espiritual — o Falun Dafa. Não sei o que me atraiu para essa prática, mas ela conseguiu penetrar o escudo da doença que eu carregava durante anos. Decidi ficar por um tempo e foi uma das melhores decisões que já tomei.

De repente, a porta para a tristeza e a miséria se fecharam para sempre e, em vez disso, a felicidade e a realização me receberam. Foi a primeira vez em 71 anos que percebi a fonte da minha dor e a raiz das minhas tristezas.

Por andar curvada em um ângulo de 90 graus devido ao meu corcunda e às dores em minhas articulações, minha aparência parecia desconfortável e hedionda. No primeiro dia de exercícios do Falun Dafa, achei que nunca seria capaz de cruzar as pernas como as outras pessoas. Mas, gradativamente, minhas articulações começaram a relaxar e se tornaram mais flexíveis e, em seis meses, consegui cruzar as pernas para meditar. Minhas pernas voltaram à sua forma normal e eu pude dar adeus à minha estranha postura.

Van praticando o quinto exercício do Falun Dafa (DKN.tv)
Van praticando o quinto exercício do Falun Dafa (DKN.tv)

Milagres aconteceram um após o outro, pude finalmente dormir tranquilamente e acordar de manhã sentindo-me renovada, ao contrário de como eu me sentia no passado. Meu corpo começou a apresentar mudanças, eu já não sofria de faringite crônica e disfunção intestinal.

Através da leitura do livro Zhuan Falun — livro principal do Falun Dafa — tenho conseguido gradualmente entender e deixar meu ressentimento  com meu marido. Mais importante ainda, eu encontrei a chave para a felicidade e já não me queixo da pobreza.

Van lendo o livro Zhuan Falun (DKN.tv)
Van lendo o livro Zhuan Falun (DKN.tv)

Testemunhando os milagres que me tiraram do chão, minha filha e irmã também começaram a praticar o Falun Dafa. Isso nos ajudou a criar um ambiente harmonioso. Agora não discutimos e culpamos um ao outro como antes, mas mantemos nossa calma e paciência uns com os outros.

De fato, a meditação feita com paz e harmonia é uma alegria que a maioria das pessoas não conhece.

Nota do editor:

Falun Dafa é uma prática de cultivo da mente e do corpo que ensina a Verdade, a Compaixão e a Tolerância como uma forma de melhorar a saúde e o caráter moral e alcançar a sabedoria espiritual.

Para mais informações sobre a prática, visite FalunDafa.org. Todos os livros, música de exercícios, recursos e instruções estão disponíveis gratuitamente.

 
Matérias Relacionadas