Em busca da maior festa de Carnaval do mundo

O cantor sul-coreano Psy sorri no Sambódromo do Rio de Janeiro, dia 9 de fevereiro de 2013. O criador de ‘Gangnam Style’ visitou o Rio para desfrutar do carnaval (Vanderlei Almeida/AFP/Getty Images)

Música contagiante, artistas famosos e desfiles. Muitos turistas viajam para o Brasil – e no Brasil – buscando conhecer a festa popular que é considerada a maior do mundo.

O destino mais popular dos turistas para comemorar o Carnaval no Brasil – até mesmo o cantor sul-coreano Psy sabe – é o Rio de Janeiro. Depois de cantar em Salvador, com a cantora Cláudia Leite na sexta-feira (8), Psy foi checar o Carnaval do Rio, no sábado (9).

O Carnaval do Rio de Janeiro é considerado pelo Guinness Book, o livro dos recordes, como o maior do mundo desde 2004. Neste ano, o Carnaval atraiu um recorde de 400 mil visitantes estrangeiros.

O Ministério do Turismo estimou que no Carnaval 6,2 milhões de pessoas iriam viajar gerando R$ 5,7 bilhões. A receita no ano passado foi de 5,5 bilhões de reais pelos 6 milhões de turistas que viajaram no período.

Cordão do Bola Preta – um dos desfiles mais tradicionais desfilam da cidade (Vanderlei Almeida/AFP/Getty Images)

São vários os fatores que influenciam no aumento do turismo no Brasil. O Ministério do Turismo aponta que o brasileiro vem incorporando cada vez mais o turismo em sua estrutura de consumo. Com o crescimento da classe C no Brasil, há um consequentemente aumento do número de viagens domésticas, as maiores ofertas nos preços de viagens e  facilidade de pagamentos.

“A atuação da pasta ministerial junto ao ordenamento e estruturação do setor e à promoção do turismo doméstico (Ministério do Turismo) e promoção do Brasil no mercado internacional (Embratur) contribui para o crescimento do turismo brasileiro, o que também se verifica no Carnaval”, explicou a assessoria do Ministério.

No Rio de Janeiro, apenas para ver os desfiles e carnaval de rua, a prefeitura estimou um total de 6 milhões de turistas.

Muitas pessoas, muitos problemas

Enquanto muitos desfrutaram das festividades e das férias, muitas pessoas trabalharam duro.

Agentes de combate à desordem, da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), com o apoio de guardas municipais, desde o início dos desfiles pré-carnavalescos já levaram 671 pessoas à delegacia por urinar nas ruas.

Nos cinco dias de Carnaval, 700 toneladas de lixo foram coletadas, segundo a prefeitura do Rio. Mas ainda estão sendo contabilizados os resíduos removidos na noite de terça (12) e quarta-feira (13) de manhã.

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio realizou mais de 1.800 atendimentos médicos nos cinco dias de desfile. Desidratação, dor de cabeça e mal-estar foram as principais queixas dos pacientes.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas