Documentário ‘Reino Vermelho’ e Movimento Guarda-Chuva

O que o Movimento Guarda-Chuva e o documentário ‘Reino Vermelho’ (‘Red Reign’) têm em comum? Embora isso possa soar como o prelúdio de uma possível piada, na verdade é extremamente sério e não há nada de engraçado.

O Movimento Guarda-Chuva, uma série de protestos em Hong Kong que têm sido reportados na mídia nas últimas semanas, tem pacificamente expressado o direito de preservar a frágil autonomia de Hong Kong em relação à China continental. Esta é uma questão de vida ou morte para muitos cidadãos de Hong Kong, que conhecem a ameaça do regime comunista chinês e seus terríveis abusos de direitos humanos e ambientais.

É aqui que o documentário ‘Reino Vermelho’ aparece, o qual se concentra especificamente no mais hediondo crime contra a humanidade perpetrado pelo Partido Comunista Chinês (PCC) – a extração forçada de órgãos de prisioneiros de consciência, em sua grande maioria praticantes do Falun Gong. O filme expõe a tragédia moderna a partir de um ponto de vista ocidental.

O Falun Gong, uma prática espiritual com raízes na cultura tradicional chinesa, inclui cinco exercícios de meditação e enfatiza uma vida moral baseada nos princípios da verdade, compaixão e tolerância. Apesar da grande popularidade na China, a prática foi proibida pelo regime chinês em 1999 sob o mandato do ex-líder Jiang Zemin. Centenas de milhares de praticantes foram detidos, presos e brutalmente torturados com o objetivo de que renunciassem a sua fé.

Em 2006, um relatório de David Matas, um advogado internacional de direitos humanos, e de David Kilgour, um ex-membro do Parlamento canadense, alegou que prisioneiros do Falun Gong foram mortos pelo PCC a fim de extrair seus órgãos para o negócio lucrativo de transplante.

Dizer a verdade

A cineasta Masha Savitz se concentrou nos esforços de Matas, um candidato ao Prêmio Nobel que escreveu o livro “Colheita Sangrenta: O assassinato do Falun Gong“. O documentário também apresenta entrevistas com Matas, Kilgour, vítimas da perseguição ao Falun Gong e vários médicos que compartilham testemunhos chocantes sobre o mercado de transplantes. O filme também inclui cineastas cujos filmes sobre o tema foram efetivamente silenciados devido à pressão do regime chinês no Canadá, Europa e Estados Unidos.

‘Reino Vermelho’ impressiona. Ele conta uma história internacional de política e economia emaranhadas intencionalmente e como o regime chinês usa isso em seu favor para expandir seu autoritarismo e repressão. ‘Reino Vermelho’ mostra como uma perseguição em grande escala da fé popular ainda pode ocorrer em nossa sociedade moderna.

“Quando eu conheci David Matas, eu vi que poderia destacar um elemento que tornaria a experiência mais palatável”, disse Savitz. “Eu sabia que tinha de contar a verdade, mas de uma forma que não sensacionalizasse o assunto. Meu objetivo foi mostrar o melhor da humanidade e o pior, para valorizar as virtudes da coragem, justiça e retidão ao lado da crueldade inqualificável e da ganância. Em meio à falência moral aguda e atrocidade, eu busquei transmitir coragem, determinação e esperança.”

Savitz e o produtor Pete McGrain do documentário “Ethos”, e com narração de Woody Harrelson, transmitem os fatos de forma convincente, mas você não deixará o cinema oprimido ou dormente. Mais do que provável, o filme o deixará com o conhecimento, a compreensão e a paixão para manter-se firme, com convicção e solidariedade, ao lado dos corajosos estudantes do Movimento Guarda-Chuva, e talvez até mesmo inspirado a iniciar um movimento pelo fim da extração forçada de órgãos.

Pôster do filme-documentário ‘Reino Vermelho’ (Red Reign)
Pôster do filme-documentário ‘Reino Vermelho’ (Red Reign)
 
Matérias Relacionadas