A cura para o vício em bebidas doces

O grande aumento do consumo anual de açúcar no Brasil está tendo efeitos graves sobre a nossa saúde. Segundo a Embrapa, o consumo médio anual de açúcar por habitante passou de  15 quilos em 1930 aos atuais 51 a 55 quilos. A média de consumo de açúcar mundial por habitante corresponde a 21 quilos por ano.

O açúcar não tem valor nutritivo, a menos que você o coma direto da cana-de-açúcar. Ele substitui a vitamina C nas células brancas do sangue, imediatamente enfraquecendo o sistema imunológico, e causando aumento de peso.

Os efeitos do xarope de milho rico em frutose (HFCS), sobre os triglicerídeos, a obesidade e o açúcar no sangue são maiores do que os efeitos do açúcar comum, ou sacarose. Como resultado, a introdução do HFCS levou à presente epidemia de doenças crônica em todas as idades, incluindo crianças e bebês.

O vídeo do Dr. Robert Lustig, Sugar: The Bitter Thuth (Açúcar: a verdade amarga) – que passou de 500 mil acessos a mais de 2 milhões de acessos em duas semanas – inclui seu tratamento para crianças obesas. Ele é composto de quatro etapas:

• Elimine todas as bebidas açucaradas, incluindo sucos de frutas, da sua casa. Substitua-os por água e leite.
• Coma carboidratos com fibras.
• Espere 20 minutos antes de comer um segundo prato de comida.
• Controle e equilibre o tempo em que as crianças ficam na frente da televisão com o tempo da brincadeira (o primeiro não deve exceder o segundo).

É melhor comer frutas inteiras do que bebê-las. Comer a fruta inteira, de preferência orgânica, fornece fibras, o que torna mais lenta a absorção de frutose no organismo. Frequentemente, as camadas logo abaixo da casca têm a maior parte dos nutrientes, tais como os antioxidantes nas maçãs. A parte branca da casca da laranja tem bioflavonóides, que complementam a vitamina C.

Atualmente até mesmo a água tem aditivos. A água da torneira vem normalmente carregada de cloro, o qual pode ser filtrado com filtros de carvão. O flúor, um veneno, necessita de um filtro mais complexo. A água engarrafada é muitas vezes água da torneira fluorada, a menos que tenha passado pelo processo de osmose inversa. Água mineral ou do poço são frequentemente vendidas em garrafas de vidro, o que costuma ser caro, porém evita que se beba o plástico da garrafa.

Lustig sugere refrigerante diet, embora sem entusiasmo. Refrigerantes diet, geralmente, têm aspartame. Embora seja considerado seguro pelo Órgão de Administração de Comida e Drogas Norte Americano (FDA), este adoçante pode ter efeitos neurológicos muito adversos.

Joseph Mercola, médico osteopata, em seu livro Sweet Deception (Doce decepção), conta a história de um homem que teve alteração em sua visão enquanto dirigia em uma estrada. Ele sentiu que estava dirigindo no céu, enquanto os outros carros estavam dirigindo acima dele na estrada.

Ele conseguiu encostar e chamar uma ambulância. O médico do pronto socorro reconheceu os sintomas como envenenamento por aspartame e perguntou se ele tinha bebido refrigerante diet. Ele disse que bebia um refrigerante diet por dia. Então, o homem imediatamente largou este hábito.

Existem alguns refrigerantes que usam stevia como adoçante. O pó de stevia vem de uma folha muito doce, usada por centenas de anos aqui na América do Sul para adoçar o mate. Até agora, nenhum efeito adverso foi notado para o consumo de stevia.

Qualquer bebida, incluindo limonada e chá gelado ou quente, pode ser adoçada com stevia. Ela é 300 vezes mais doce do que o açúcar, tenha cuidado para não usar muito.

Se o sabor é preferível à água pura, há chás de ervas, como hortelã, trevo, gengibre, e muitos outros, que podem ser explorados como alternativas aos sucos de frutas e refrigerantes. Chás devem ser variados, para se evitar os efeitos medicinais, tais como a irritabilidade oriunda do uso frequente da camomila.

A frutose não se encontra apenas em bebidas de fruta, mas também em quase todos os alimentos processados​​. Basta ler os rótulos para comprovar.

O Dr. Lustig vê açúcar como viciante e explica claramente que a frutose tem efeitos fisiológicos similares ao etanol. Ele sugere medidas draconianas para manter as bebidas carregadas de frutose longe das mãos dos nossos jovens.

Esta é a Parte 2 da série sobre Frutose. Leia a Parte 1: Frutose: o veneno de baixa caloria que engorda.

 
Matérias Relacionadas