Cúpula Trump-Kim termina sem acordo

Trump teve que "se retirar" das negociações, já que Kim exigiu que todas as sanções fossem retiradas

Por Emel Akan, Epoch Times

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, não conseguiram chegar a um acordo em sua segunda cúpula no Vietnã, já que ambos discordaram sobre a flexibilização das sanções.

“Às vezes você tem que se retirar, e este foi um desses momentos”, disse Trump em uma coletiva de imprensa após a cúpula de 28 de fevereiro. “Basicamente, eles queriam que as sanções fossem retiradas na íntegra, e nós não podemos fazer isso.”

Após a cúpula de 2018 em Singapura, Trump e Kim se encontraram pela segunda vez em 27 e 28 de fevereiro em Hanói, capital do Vietnã. Ambos os líderes expressaram muito otimismo no início da reunião, quando se encontraram para uma conversa pessoal seguida de um jantar social em 27 de fevereiro.

“Ele é um grande homem e um personagem completo. E acho que nosso relacionamento é muito forte”, disse Trump sobre Kim na coletiva de imprensa.

“Ele estava disposto a desnuclearizar grande parte das áreas que queríamos, mas não poderíamos desistir de todas as sanções por causa disso”, explicou Trump. “Tivemos que nos retirar devido a essa sugestão específica.”

Quando perguntado se as sanções serão mantidas, Trump disse: “Nós não desistimos de nada”.

No período que antecedeu a cúpula, Trump disse repetidamente que “não tinha pressa” de chegar a um acordo.

“Eu poderia ter assinado algo hoje. Na verdade, nós tínhamos documentos prontos para assinar, mas o momento não foi propício”, disse Trump. “Eu prefiro fazer certo do que fazer rápido.”

A Coreia do Norte se ofereceu para desmantelar o reator nuclear de Yongbyon, mas primeiro queria que as sanções fossem suspensas. Trump, no entanto, disse que desmantelar Yongbyon por si só não era suficiente, já que “muitos” outros lugares foram descobertos.

“Nós precisamos mais que isso. Trouxemos à luz muitos pontos que eu acho que eles não esperavam que soubéssemos”, disse ele, acrescentando que os Estados Unidos não querem se concentrar apenas em Yongbyon e “desistir de todas as vantagens que levaram tanto tempo para serem obtidas”.

A Coreia do Norte tem cerca de 20 locais de testes de mísseis balísticos não declarados, de acordo com um estudo recente da Beyond Parallel, um projeto patrocinado pelo Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, um think tank com sede em Washington.

Trump também disse que os dois lados vão continuar trabalhando juntos, mas não especificou uma data para sua próxima cúpula com o líder norte-coreano.

O secretário de Estado Mike Pompeo disse que, apesar do resultado, ambos os lados fizeram progressos significativos durante a cúpula.

“Nossas equipes ficaram se conhecendo melhor”, disse ele na entrevista coletiva. “Sabemos quais são alguns dos limites e desafios, e acredito que nos próximos dias e semanas poderemos progredir para finalmente alcançar o que o mundo deseja.”

Ambos os líderes encurtaram a reunião sem participar de um almoço de trabalho. Trump saiu de Hanói duas horas antes de sua partida programada às 6 horas da tarde, horário local.

Siga Emel no Twitter: @mlakan

 
Matérias Relacionadas