Cuidados necessários em viagem aérea com animal de estimação

O mercado de pet brasileiro é um dos maiores do planeta. De acordo com a Anfalpet (Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação) são 98 milhões de animais domésticos em todo o Brasil. Muitas pessoas consideram seus animais de estimação como membros da família e, quando vão viajar de avião, querem levá-los. Há muitas dúvidas sobre como transportar seu bichinho, mas o processo é muito tranquilo.

Por ano mais de 50 mil animais, basicamente cães e gatos, viajam de avião pelo Brasil e estudos recentes mostram que o transporte aéreo é menos estressante para os bichos, principalmente se o destino escolhido for muito distante da origem. No entanto, isso envolve cuidados, coisas como: verificação das vacinas, alimentação e equipamento para transporte, coisas fundamentais para evitar surpresas desagradáveis durante o trajeto.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), para transportar animais as companhias podem cobrar um valor à parte e, para levar o bichinho na cabine de passageiros, o proprietário precisa avisar a empresa com antecedência, de preferência no momento da compra das passagens aéreas, pois o número de animais na cabine é limitado.

Para voos domésticos, o proprietário precisa apresentar a documentação do animal com seu atestado de saúde e sua carteira de vacinação. Em viagens internacionais, o bichinho precisa ter o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Alguns países exigem que o animal fique em quarentena antes de entrar no país, isso pode chegar a 6 meses, como é o caso da Inglaterra. Vale ressaltar que é muito importante o dono informar-se sobre as regras federais do país de destino para evitar problemas no desembarque.

Confira abaixo as normas das principais companhias aéreas de voos domésticos:

AVIANCA:

Limitado a um animal por voo na cabine de passageiros. Cães-guia (portadores de deficiência) são transportados gratuitamente na cabine, no chão da aeronave, ao lado do dono. O peso do animal (exceto dos cães-guia) mais contêiner não pode exceder cinco kg. O valor cobrado é com base no total de quilos resultante da pesagem do animal com seu contêiner multiplicado por 0,5% da tarifa máxima do trecho do voo.

É exigida a apresentação do certificado de vacinação antirrábica para animais com mais de três meses de idade, no qual conste o nome do laboratório produtor, tipo de vacina e o número de ampola utilizado. Esta vacina precisa ser aplicada de trinta dias a um ano antes do embarque. Deve-se levar também um atestado sanitário emitido por veterinário com validade de dez dias a partir da data de emissão.

AZUL:

Nos aviões da AZUL é permitido transportar até três animais (cão e gato) por voo, desde que todos tenham mais de quatro meses de idade. Todos eles devem ser transportados na cabine e devem ter peso total (animal e contêiner) no máximo cinco quilos cada. Os bichinhos devem ter mais que 4 meses de vida e ser transportados em embalagens adequadas.

Leve o comprovante da vacinação antirrábica, com o nome do laboratório produtor, o tipo da vacina e o número da partida/ampola utilizada. Essa vacina precisa ter sido aplicada há mais de trinta dias e a menos de um ano do embarque. Também é preciso ter em mãos o atestado de saúde do animal, emitido por médico veterinário, com validade de dez dias da data de emissão.

GOL:

É necessário apresentar atestado sanitário e a carteira de vacinação atualizada, ambos assinados por veterinário. Só é permitido dois animais por voo (exceção a filhotes de mesma ninhada e pequeno porte pertencente ao mesmo cliente).

Cães-guia podem ser transportados na cabine com os passageiros. Para transportar  animais como bagagem despachada, é cobrada taxa de aproximadamente US$ 40 acrescido o peso do animal com o contêiner multiplicado por 1% da tarifa cheia do trecho a ser voado.

TAM:

Na TAM, não é necessário sedar o animal na hora da viagem, e a documentação exigida inclui o certificado de vacina antirrábica aplicada há mais de trinta dias e menos de um ano, além de saúde do animal, emitido por médico veterinário, com validade de dez dias da data de emissão.

Filhotes com menos de três meses só viajam com autorização expressa de veterinário e animais com menos de dez quilos (incluindo o peso do contêiner) podem viajar na cabine de passageiros. A taxa cobrada é de aproximadamente US 40,00 acrescido o peso do animal com o contêiner multiplicado por 0,5% da tarifa cheia do trecho a ser voado.

WEBJET:

A companhia não transporta animais desacompanhados ou com menos de três meses, e só aceita como bagagem de porão animais com até trinta quilos. A taxa cobrada é de aproximadamente US$ 40,00 mais o valor de excesso de bagagem que corresponde ao peso do animal somado ao do compartimento do animal.

A apresentação de certificado de vacinação antirrábica atual com comprovação da vacina múltipla e de tratamento anti-helmíntico emitidos por veterinário, bem como atestado de saúde do animal fornecido por médico veterinário credenciado.

O avião é geralmente a melhor opção para viagens longas, devido ao conforto e à economia de tempo que proporciona. Além disso, o meio de transporte é seguro e com preços razoáveis.

Como as regras mudam, informe-se com as operadoras!

 
Matérias Relacionadas