Coreia do Norte pode ter miniaturizado arma nuclear em 2006, revelaria foto (Vídeo)

O programa de mísseis nucleares da Coreia do Norte fez avanços explosivos nos últimos anos, culminando em um teste de bomba nuclear em setembro e um teste de míssil balístico intercontinental há duas semanas, o que demonstrou que a Coreia do Norte pode atacar todo o território dos Estados Unidos.

Recentemente, uma imagem produzida pela mídia estatal da Coreia do Norte e liberada acidentalmente para o mundo, revela que o programa nuclear da Coreia do Norte pode ter estado muito mais avançado sob a liderança do ex-líder Kim Jong Il do que se acreditava anteriormente.

O vídeo que mostra Kim Jong-un visitando uma exposição sobre a fábrica de munições na Coreia do Norte capturou uma imagem do pai e predecessor do líder norte-coreano, Kim Jong-il, inspecionando um dispositivo circular do tamanho de um globo de discoteca que, segundo especialistas, poderia ser uma bomba nuclear.

Caso seja confirmado, a imagem sugeriria que o regime comunista já conseguiu miniaturizar sua arma atômica em 2006.

Essa capacidade daria mais credibilidade às afirmações atuais de Kim de que já teria desenvolvido uma bomba de hidrogênio miniaturizada, suficientemente pequena para caber dentro do nariz de um ICBM.

As afirmações do regime sobre seu programa nuclear, incluindo as de que foram detonadas duas bombas de hidrogênio, que são muito mais poderosas do que as bombas atômicas regulares, frequentemente não são levadas a sério.

Especialistas acreditam que a fotografia, que está pendurada na parede de um salão de exposição em Pyongyang, enquanto Kim caminha no vídeo, pode ter sido manipulada. Se isso for verdade, pode ser uma tentativa da Coreia do Norte de fazer observadores internacionais acreditarem que o armamento nuclear do regime está mais desenvolvido do que parece.

Kim Jong Il inspeciona o que parece ser uma bomba atômica miniaturizada em uma foto tirada em Pyongyang, na Coreia do Norte, em 11 de dezembro de 2017 (Stimme Koreas/YouTube)
Kim Jong Il inspeciona o que parece ser uma bomba atômica miniaturizada em uma foto tirada em Pyongyang, na Coreia do Norte, em 11 de dezembro de 2017 (Stimme Koreas/YouTube)

De acordo com a mídia estatal norte-coreana e as declarações de Kim Jong-un, o regime teria alcançado sua “força nuclear estatal”.

O regime afirmou que o teste nuclear realizado em setembro passado foi feito com uma bomba de hidrogênio, dispositivo termonuclear mil vezes mais poderoso do que a bomba atômica que foi lançada em Hiroshima durante a Segunda Guerra Mundial.

Os especialistas permanecem céticos ante a afirmação e muitos sugerem que o teste, que provocou um terremoto de magnitude 5.6 em 3 de setembro, foi feito com uma bomba de fissão reforçada em vez de uma bomba de hidrogênio.

Comparação de sinais sísmicos dos seis testes nucleares declarados pela República Popular Democrática da Coreia, como observado na estação IMS AS-59 em Aktyubinsk, no Cazaquistão (Cortesia da Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares)
Comparação de sinais sísmicos dos seis testes nucleares declarados pela República Popular Democrática da Coreia, como observado na estação IMS AS-59 em Aktyubinsk, no Cazaquistão (Cortesia da Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares)

As bombas de hidrogênio usam uma segunda etapa de reações de fusão nuclear para ampliar exponencialmente a força destrutiva de uma explosão atômica típica. Uma bomba de fissão reforçada, no entanto, simplesmente adiciona um pouco de gás termonuclear para amplificar uma bomba atômica normal.

A imagem com a foto só pode ser vista por um breve instante, o que dificulta uma análise mais detalhada de apenas algumas cenas de vídeo de baixa resolução mostrando o dispositivo.

É similar em tamanho às imagens mais recentes de Kim Jong-un que mostra o ditador inspecionando o que a mídia estatal na Coreia do Norte afirma ser a primeira bomba de hidrogênio do regime.

Esta imagem sem data publicada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (KCNA) em 3 de setembro de 2017, mostra o ditador norte-coreano Kim Jong-un (centro) analisando o que o regime afirma ser uma bomba de hidrogênio com a capacidade de ser acoplada ao novo míssil balístico intercontinental do país. Analistas questionaram se o regime conseguiu miniaturizar sua arma nuclear, ou mesmo se conseguiu desenvolver uma bomba de hidrogênio termonuclear (STR/AFP/Getty Images)
Esta imagem sem data publicada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (KCNA) em 3 de setembro de 2017, mostra o ditador norte-coreano Kim Jong-un (centro) analisando o que o regime afirma ser uma bomba de hidrogênio com a capacidade de ser acoplada ao novo míssil balístico intercontinental do país. Analistas questionaram se o regime conseguiu miniaturizar sua arma nuclear, ou mesmo se conseguiu desenvolver uma bomba de hidrogênio termonuclear (STR/AFP/Getty Images)

A fotografia de Kim Jong Il inspecionando o dispositivo não foi divulgada anteriormente. Se for uma arma atômica, isso sugeriria que o regime manteve seu programa nuclear em segredo durante o governo Obama, talvez por medo de invocar o tipo de sanções e atenção que o regime está experimentando agora.

Leia também:
EUA: FCC vota contra regulamentações da neutralidade da rede
Contra minas terrestres: progressos alcançados, mas muito a se fazer
Senador australiano renuncia em meio à controvérsia sobre infiltração da China

 
Matérias Relacionadas