Coreia do Norte: imagens de satélite revelam atividade em local de testes nucleares

A Coreia do Norte parece estar preparando terreno no conhecido local de testes nucleares Punggye-ri para a explosão de outra bomba nuclear subterrânea, de acordo com fotos de satélite recém publicadas.

A análise de imagens de satélite comerciais recentes revela a presença de pessoal e sinais de escavação no local, de acordo com três especialistas que colaboraram com a equipe do 38 North, site da web especializado em Coreia do Norte.

Punggye-ri esteve nas manchetes de notícias ao longo dos anos. Ali foram realizados os últimos cinco testes nucleares da Coreia do Norte.

Tem sido também o epicentro das ondas de choque detectadas a centenas de quilômetros de distância cada vez que o regime comunista do ditador Kim Jong-un provoca uma explosão nuclear subterrânea.

Soldado norte-coreano usa binóculos para observar o rio Yalu próximo de Sinuiju, defronte à cidade fronteiriça chinesa de Dandong, em 14 de abril de 2017 (Johannes Eiseles/AFP/Getty Images)
Soldado norte-coreano usa binóculos para observar o rio Yalu próximo de Sinuiju, defronte à cidade fronteiriça chinesa de Dandong, em 14 de abril de 2017 (Johannes Eiseles/AFP/Getty Images)

Acredita-se que esses testes tenham alterado as placas tectônicas na área, o que faz com que testes futuros sejam perigosos devido à instabilidade geológica. Após a realização do teste nuclear mais potente da Coreia do Norte em 3 de setembro, foram detectadas duas réplicas significativas.

O maior terremoto, ocorrido em 23 de setembro, teve uma magnitude de 3.2. Na época do evento, a estação de televisão japonesa Asahi citou fontes norte-coreanas não identificadas que afirmaram que um colapso em um túnel matou 100 norte-coreanos no local do teste.

Durante as operações de resgate, outro colapso matou mais 100 trabalhadores, disse ele.

Esse fato ajuda a explicar por que as atividades no túnel foram transferidas do Portal Norte para o local de testes do Portal Oeste.

As imagens de satélite mais recentes confirmam o que foi observado anteriormente: enquanto o Portal Norte está inativo, com exceção da água que é drenada na entrada, o Portal Oeste mostra nove carros de mineração, além da pilha de escombros que cresce rapidamente a partir da instalações subterrâneas e novos trilhos.

Imagem de satélite de 2 de dezembro de 2017 mostra parte do local de testes nucleares Punggye-ri na Coreia do Norte. Pode-se observar que houve uma expansão significativa da pilha de detritos no Portal Oeste (Airbus Defense & Space/38 North, Pleiades CNES, 2017)
Imagem de satélite de 2 de dezembro de 2017 mostra parte do local de testes nucleares Punggye-ri na Coreia do Norte. Pode-se observar que houve uma expansão significativa da pilha de detritos no Portal Oeste (Airbus Defense & Space/38 North, Pleiades CNES, 2017)

“Durante o mês de dezembro de 2017, caminhões e trabalhadores de mineração estiveram constantemente presentes em todo o Portal Oeste e houve uma expansão significativa da pilha de detritos”, afirma a análise, conduzida por Frank V. Pabian, Joseph S. Bermudez Jr. e Jack Liu.

Comparação de sinais sísmicos (escala) dos seis testes nucleares declarados pela Coreia do Norte, conforme observado na estação IMS AS-59 Aktyubinsk, no Cazaquistão (Cortesia da Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares)
Comparação de sinais sísmicos (escala) dos seis testes nucleares declarados pela Coreia do Norte, conforme observado na estação IMS AS-59 Aktyubinsk, no Cazaquistão (Cortesia da Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares)

Embora a análise não tenha conseguido determinar o papel da equipe, notou-se que foi um comportamento incomum.

“É raro observar trabalhadores nessa área e o propósito de suas atividades é desconhecido”.

A área do Portal Sul permanece inativa, sem atividade significativa observada ali ou em qualquer outro lugar dentro do complexo de testes.

Análises anteriores das fotografias de satélite produzidas em novembro revelaram atividades realizadas anteriormente no Portal Oeste. De acordo com 38 North, as implicações são claras.

“Essas atividades sugerem que está em andamento a escavação de um túnel no Portal Oeste, já que os norte-coreanos estão ampliando o potencial do local para futuros testes nucleares”, diz a análise.

Míssil balístico intercontinental de longo alcance chamado Hwasong-15, da Coreia do Norte, lançado em 28 de novembro de 2017. O regime comunista do ditador Kim Jong-un afirma que o míssil é capaz de transportar uma ogiva nuclear miniaturizada, assim como a que afirma ter testado em 3 de setembro de 2017. Testes foram feitos em Punggye-ri (KCNA)
Míssil balístico intercontinental de longo alcance chamado Hwasong-15, da Coreia do Norte, lançado em 28 de novembro de 2017. O regime comunista do ditador Kim Jong-un afirma que o míssil é capaz de transportar uma ogiva nuclear miniaturizada, assim como a que afirma ter testado em 3 de setembro de 2017. Testes foram feitos em Punggye-ri (KCNA)

Leia também:
EUA posicionam bombardeiros B-2 próximos à Coreia do Norte
EUA finalizam acordo de venda de defesa de mísseis para Japão
Novo navio-fantasma norte-coreano aparece com sete cadáveres putrefatos a bordo

 
Matérias Relacionadas