Cientista político alemão é preso por espionar para a China

Por Agência EFE

O Ministério Público Federal da Alemanha informou na terça-feira a prisão de um cientista político de nacionalidade alemã acusado de fornecer informações regularmente por pelo menos uma década aos serviços secretos chineses.

De acordo com o comunicado da promotoria, Klaus L., chefe de um centro de estudos especializado na China desde 2001, revelou informações “antes ou depois das visitas de Estado” e também sobre “conferências multinacionais”.

Esta informação era potencialmente relevante, uma vez que o detido tinha contatos com “políticos de alto nível” e uma “rede de relevância internacional” graças à sua “reputação”.

Em troca, o réu recebeu pagamentos dos serviços secretos chineses, além do financiamento para atender a todas essas nomeações internacionais, segundo a promotoria.

O relacionamento com o especialista começou em junho de 2010, quando espiões chineses contataram o acusado durante uma viagem a Xangai.

O detido deve comparecer nesta terça-feira ao juiz de instrução, que decidirá se o perito permanece em prisão preventiva.

Há duas semanas, um trabalhador universitário de origem russa também foi preso na Alemanha por fornecer informações em troca de dinheiro a agentes de um serviço secreto de seu país.

Segundo a acusação, o detido encontrou-se “pelo menos três vezes” ao longo de nove meses com um espião russo e em duas dessas ocasiões prestou “informações sobre o domínio da universidade”, pelo que recebeu “dinheiro”.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

 
Matérias Relacionadas