Provérbio: “Cavando um poço quando se está sedento”

O provérbio “Cavando um poço quando se está sedento” ensina a refletir sobre um problema antes que este se apresente.

No Período da Primavera e do Outono, o Reino de Lu estava cheio de problemas e conflitos. O rei de Lu, Zhao Gong, teve de escapar e buscou refúgio no Reino de Ji. Logo, se encontrou com o rei. Jin Gong, rei de Ji, lhe perguntou: “Por que você perdeu o seu reino?”

Zhao Gong lhe respondeu: “Porque sou jovem, muitas pessoas cuidaram de mim, mas eu não os tratei bem. Quando meus conselheiros me assessoravam, eu não os escutava. Sendo assim, ninguém queria me ajudar no reino e ninguém me suportaria fora do reino. Estou cercado de oficiais aduladores e gente que somente quer favores de mim. Sou como as folhas secas no outono, as raízes se romperam, mas as folhas ainda se veem preciosas, e ao mero roçar do vento elas voam.”

Jing Gong consultou-se com o seu próprio conselheiro, Yan Zi. “Se ajudo Zhao Gong a retornar a seu reino, converter-se-ia em um bondoso e bom rei?” Yan Zi disse: “Provavelmente não. Soberanos tontos descansam em seus tronos e os incompetentes se acham muito capazes. Seus problemas se originam de sua própria negligência e de não prestar atenção aos sinais do problema. Em vez de estudar a natureza de um lago ou rio quando tudo vai bem, eles tentam entende-los somente quando estão por afogar-se. Buscam o rumo somente quando estão perdidos.”

Yan Zi continuou: “O mesmo se aplica para um reinado repleto de revolta. Quando em crise, as pessoas recorrem às armas. Quando sedentos, cavam um poço. Ainda que trabalhem muito rápido, já é tarde demais.”

Este se converteu num provérbio: “Cavando um poço quando se tem sede.” Quer dizer, começar a lidar com os problemas somente quando se já está em meio a uma crise, ou quando já é tarde demais.

Este artigo pertence a série “Histórias da antiga China”; para ler outros artigos da série, clique aqui.

 
Matérias Relacionadas