Casa Branca insta China a evitar retaliação ‘olho por olho’ após fechamento do consulado de Chengdu

Por Eva Fu

Em 24 de julho, a Casa Branca instou o regime chinês a evitar “retaliação olho por olho”, horas depois de Pequim ordenar o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu em resposta ao fechamento do consulado chinês em Houston por Washington.

“Nossa ação para direcionar o fechamento do Consulado Geral da RPC em Houston foi tomada para proteger a propriedade intelectual americana e as informações privadas dos americanos”, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional John Ullyot em comunicado por e-mail: referente à República Popular da China.

Ele disse que Pequim “há anos empreende um esforço conjunto de toda a sociedade” roubando a propriedade intelectual americana e impedindo que diplomatas americanos na China cumpram seus deveres.

“Instamos o PCC a interromper essas ações malignas, em vez de retaliar “olho por olho'”, disse ele.

Em 22 de julho, os Estados Unidos ordenaram o fechamento do consulado chinês em Houston, citando “as violações da RPC à nossa soberania e a intimidação do nosso povo”, além de “práticas comerciais desleais, roubo de empregos nos EUA e outros comportamentos flagrantes”, em uma declaração do Departamento de Estado.

O Ministério das Relações Exteriores da China disse que os Estados Unidos deram três dias para fechar o consulado.

Mais tarde, o ministério ordenou o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu, capital da província de Sichuan, no sudoeste da China, na sexta-feira, chamando a decisão de “resposta legítima e necessária” à “provocação unilateral de Washington”.

A filial de Chengdu é uma das seis missões diplomáticas dos EUA na China continental, sem mencionar Hong Kong.

“Algumas autoridades do Consulado Geral dos Estados Unidos em Chengdu realizaram atividades inconsistentes com sua capacidade de interferir nos assuntos internos da China e minar os interesses de segurança da China. A China registrou queixas diplomáticas em várias ocasiões e os EUA sabem muito bem disso”, disse Wang Wenbin, porta-voz do ministério, em entrevista coletiva na sexta-feira.

A emissora estatal chinesa CCTV começou a transmitir imagens ao vivo do consulado dos EUA em seu aplicativo móvel logo após Pequim fazer o anúncio, relataram várias mídias chinesas.

Polícia saindo do consulado americano em Chengdu, China, em 24 de julho de 2020 (Noel Celis / AFP via Getty Images)
Polícia saindo do consulado americano em Chengdu, China, em 24 de julho de 2020 (Noel Celis / AFP via Getty Images)

O jornal extremista Global Times defendeu a decisão de Pequim em um editorial na sexta-feira, acusando o governo americano de “desmantelar a base das relações China-EUA quase com um trator” e declarando que a China fechará o mesmo número de consulados americanos como uma contramedida se os Estados Unidos decidirem tomar outras medidas.

Ele também publicou um artigo em 23 de julho com a manchete “O Consulado dos EUA em Hong Kong funcionava como um ‘centro de espionagem'”, alegando que várias pesquisas de algumas mídias digitais chinesas mostram que “a maioria dos chineses acredita que a instalação deve estar fechada.

Quando Mike Pompeo foi questionado quinta-feira, em uma entrevista à Fox News, se os Estados Unidos retirariam o pessoal consular caso a China encerrasse suas missões, o secretário de Estado não abordou diretamente o assunto, mas disse que a decisão de fechar o consulado chinês em Houston foi consistente com todas as políticas dos EUA e que mais ações serão tomadas “até conseguirmos uma mudança”.

“E assim o governo chinês poderá tomar suas decisões sobre nossos diplomatas na China. Nós nos certificaremos de fazer a coisa certa para o povo americano”, disse ele.

Siga Eva no Twitter: @EvaSailEast

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

Manipulando a América: o manual do Partido Comunista Chinês

 
Matérias Relacionadas