Candace Owens prova que agência de fact-checking mentiu

Analista política processa agência esquerdista PolitiFact, aliada do Facebook. Agência teve de postar "correção"

Por Leonardo Trielli, Senso Incomum

A agência de suposto fact checking Politifact se viu obrigada a voltar atrás em uma de suas “checagens de fatos”, e retirou o rótulo de “conteúdo falso” de um vídeo postado pela escritora Candace Owens na quinta-feira (12/11). A agência também apagou o artigo que explicava o motivo de o conteúdo ter esta classificação.

O título do vídeo – “Joe Biden não é, literal e legalmente, o presidente eleito. Então por que a mídia finge que é?” – motivou a classificação de conteúdo falso pela Politifact.

Na sexta-feira, 20, um advogado de Owens entrou em contato com a agência de censura, que admitiu ter cometido um engano e rapidamente retirou o artigo e o rótulo de conteúdo falso.

A escritora alega que não foi informada sobre o suposto “erro” da Politfact e, portanto, não ficou satisfeita com as medidas que a agência tomou. Com a pressão de seus representantes legais, eles acabaram postando uma nota admitindo o próprio engano no dia 26, quinta-feira.

“Correção: PolitiFact originalmente rotulou este vídeo como falso (…). Em 20 de novembro, um recurso contra essa decisão foi feito em nome da Sra. Owens. O PolitiFact aprovou o recurso em 20 de novembro, determinou que uma correção era apropriada e removeu a classificação falsa.”

“Meu objetivo é expor estes “checadores de fatos” mentirosos um por um“, disse Owens.

Owens está processando mais duas agências de censura nos EUA.

 

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas