Bydance da China diz que proibição de TikTok na Índia causa perda diária de US$ 500.000 e ameaça empregos

Por Reuters

NOVA DÉLHI – A proibição da Índia ao popular aplicativo de vídeo chinês TikTok está resultando em “prejuízos financeiros” de até US$ 500 mil por dia para seu desenvolvedor, a Beijing Bytedance Technology Co, e colocou mais de 250 empregos em risco, informou a empresa em um processo judicial observado pela Reuters.

O TikTok permite que os usuários criem e compartilhem vídeos curtos com efeitos especiais e é um dos aplicativos mais populares do mundo. Ele foi baixado por quase 300 milhões de usuários até agora na Índia, de mais de 1 bilhão de downloads globalmente, de acordo com a empresa de análises Sensor Tower.

No começo deste mês, um tribunal estadual indiano ordenou que o governo federal proibisse seus downloads, dizendo que o aplicativo estava encorajando a pornografia. Com base nas instruções do ministério federal de TI, o Google, a Apple Inc e a Alphabet Inc, removeram o TikTok de suas lojas de aplicativos da Índia na semana passada.

Os desenvolvimentos desferiram um golpe nos planos de crescimento na Índia da Bytedance, que é apoiado pelo SoftBank Group Corp do Japão e pelo private equity. A Bydance, uma das startups mais valiosas do mundo, potencialmente avaliada em cerca de US$ 75 bilhões, estava considerando uma listagem pública em Hong Kong este ano, disseram fontes à Reuters em agosto.

No pedido feito à Suprema Corte da Índia em 20 de abril, a Bytedance pediu ao tribunal que anule a proibição e direcione o ministério federal de TI a informar empresas como Google e Apple a disponibilizar o aplicativo novamente em suas plataformas.

O arquivamento judicial não está publicamente disponível e seu conteúdo não foi relatado anteriormente.

A Bytedance calculou perdas financeiras de US$ 500 mil a cada dia, o que, segundo ela, inclui a destruição do valor de seus investimentos e a perda de receita comercial. Acrescentando que a proibição afeta sua reputação e boa vontade, atingindo tanto os anunciantes quanto os investidores.

“A proibição teve impacto negativo na base de usuários deste aplicativo, perdendo perto de 1 milhão de novos usuários por dia … Estima-se que aproximadamente seis milhões de pedidos de downloads não foram realizados desde que a proibição entrou em vigor”, disse a empresa no registro.

Um porta-voz do TikTok e do ministério federal de TI não responderam aos pedidos de comentários.

Batalha no tribunal, problemas de conteúdo

Até agora, a Suprema Corte não forneceu qualquer medida provisória por meio de alegações repetidas e submeteu o caso ao tribunal do sul do Estado de Tamil Nadu, onde o caso será ouvido na quarta-feira.

Memes e videoclipes prosperam no TikTok, apesar de alguns clipes mostrarem jovens com pouca roupa, existem outros com jovens dublando e dançando músicas populares.

Sua crescente popularidade atraiu críticas de alguns políticos e pais indianos que dizem que seu conteúdo é inadequado. O tribunal de Tamil Nadu, que decidiu contra o TikTok depois que um indivíduo entrou com um processo de interesse público, disse que o aplicativo também pode expor crianças a predadores sexuais.

O arquivamento da Suprema Corte incluiu uma tabela na qual a Bytedance comparou o TikTok ao Facebook, Instagram e Twitter listando 13 de seus recursos de segurança implementados, incluindo o controle dos pais.

Uma reportagem da BBC descobriu que o método do TikTok de lidar com mensagens inapropriadas destinadas a menores era simplesmente excluir a postagem em 24 horas. Mesmo que o aplicativo tenha regras contra essas formas de comunicação, muitos dos usuários infratores foram autorizados a permanecer na plataforma, conforme a reportagem.

Por Aditya Kalra e Munsif Vengattil. O Epoch Times contribuiu para esta reportagem.

 
Matérias Relacionadas