Bomba na estrada acerta ônibus no Afeganistão, mata pelo menos 35 e fere 27

Por Reuters

HERAT, Afeganistão – Uma bomba na estrada no Afeganistão, na quarta-feira, 31 de julho, matou pelo menos 35 pessoas que viajavam de ônibus, incluindo crianças, e feriu 27, conforme autoridades.

A segurança vem se deteriorando no Afeganistão este ano, com o Talibã e o grupo terrorista ISIS montando ataques quase diários contra forças afegãs, funcionários do governo e civis.

A explosão na estrada principal que liga as capitais provinciais de Herat e Kandahar aconteceu na área de Ab Khorma, na província de Farah, disse o porta-voz da polícia provincial, Mohibullah Mohib.

“A bomba foi recentemente plantada pelos insurgentes do Talibã para atacar forças de segurança afegãs e estrangeiras”, disse ele, acrescentando que a maioria dos mortos ou feridos são mulheres e crianças.

Nenhum grupo terrorista reivindicou a responsabilidade.

Farah está na fronteira do Irã.

Um funcionário do Talibã negou a responsabilidade e disse que eles não eram responsáveis pelo plantio de minas terrestres na área.

“A explosão não foi conduzida pelo Talibã, estamos investigando o incidente”, disse o porta-voz Zabihullah Mujahid.

A explosão vem à frente da retomada das negociações de paz entre autoridades dos Estados Unidos e representantes do Talibã, que esperam chegar a um acordo sobre um cronograma para a retirada das forças estrangeiras em troca de garantias de segurança pelos talibãs.

Mas apesar das conversações, a violência tem sido implacável.

Funcionários do governo e da ajuda dizem que o número de pessoas mortas e mutiladas está aumentando por causa dos novos explosivos plantados pelos talibãs, que agora controlam mais território do que em qualquer ponto desde a sua derrubada, há quase 18 anos.

De acordo com o Serviço de Ação contra Minas das Nações Unidas (UNMAS), mais de 1.415 civis foram mortos ou feridos por minas terrestres e material bélico no Afeganistão, no ano passado.

Indiscriminado

Um alto funcionário do UNMAS, em Cabul, disse que os relatórios iniciais sugeriam que uma bomba com placa de pressão foi usada na explosão do ônibus em Farah.

“Estes são usados pelos grupos anti-governo para atingir os comboios ou controlar o movimento populacional. Eles são indiscriminados e atualmente causam centenas de baixas civis ”, disse Mohammad Wakil Jamshidi, vice-gerente de programas do UNMAS.

Bus-hit-by-roadside-bomb-in-afghanistan
Afegãos assistem um ferido em um hospital depois de uma bomba na estrada principal entre a cidade de Herat e a cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão, em 31 de julho de 2019 (Hamed Sarfarazi / AP Photo)

“À medida que as negociações de paz continuam, há espaço para a remoção desses dispositivos e outros artefatos explosivos para gerar dividendos para a construção da paz”, disse ele.

No leste da província de Nangarhar, na fronteira com o Paquistão, os confrontos entre o Talibã e as forças afegãs na quarta-feira, causaram vítimas civis.

Sohrab Qaderi, membro do conselho provincial de Nangarhar, disse que as forças especiais afegãs realizaram operações na área de Gandumak, que está sob o controle dos talibãs.

“Dois terroristas do Talibã e cinco civis foram mortos”, disse Qaderi.

Bus-hit-by-roadside-bomb-in-afghanistan
Afegãos carregam o cadáver de uma vítima em um hospital depois de uma bomba na estrada principal entre a cidade de Herat e a cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão, em 31 de julho de 2019 (Hamed Sarfarazi / AP Photo)

Pelo menos 3.812 civis afegãos foram mortos ou feridos no primeiro semestre de 2019 na guerra, com um grande aumento no número de baixas causadas pelo governo e forças estrangeiras, disse a ONU em um relatório publicado na terça-feira.

Forças afegãs e estrangeiras disseram que civis estão feridos ou mortos durante as invasões de terra ou ataques aéreos como insurgentes usá-los como escudos humanos.

Por Storay Karimi Jalil Rezaee

 
Matérias Relacionadas