Biden envia carta a Guaidó pelo 210º aniversário da independência da Venezuela

Por Alicia Marquez

O presidente dos Estados Unidos , Joe Biden, enviou na segunda-feira uma carta ao presidente da Venezuela , Juan Guaidó, parabenizando-o pelo 210º aniversário da independência do país e disse que os Estados Unidos continuarão apoiando “a luta pela liberdade de toda a Venezuela” .

Biden, na carta de 5 de julho, dia da comemoração da independência da Venezuela, enviou seus parabéns a Guaidó, e em seu texto reconheceu o trabalho de Guaidó e a Assembleia Nacional, mas “acima de tudo, o povo venezuelano que realizaram a busca de uma transição pacífica e democrática ”no país.

“Sob sua liderança, e em coalizão com os líderes da sociedade civil, vocês estão preservando esses ideais de liberdade, democracia e soberania”, acrescentou Biden.

Além disso, Biden endossou o compromisso dos Estados Unidos de continuar apoiando a Venezuela na “luta pela liberdade de toda a Venezuela por meio de uma transição de poder pacífica e democrática”.

Biden terminou sua carta citando Simón Bolívar: “Um povo que ama a liberdade será livre no final.”

Por sua vez, James Story, o embaixador dos Estados Unidos na Venezuela, escreveu seus parabéns à Venezuela por meio de uma mensagem no Twitter: “Feliz Dia da Independência a todos da Venezuela! Os EUA e a Venezuela têm tanto em comum que celebramos nossa independência com apenas um dia de diferença. Também partilhamos os valores fundamentais e a importância da democracia ”.

O Secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken , também falou, assegurando que os venezuelanos “continuarão a encontrar no povo e no Governo dos Estados Unidos um parceiro comprometido e pronto para apoiá-los na luta pela construção de um futuro pacífico, livre, próspero e democrático para o seu país ”.

Por outro lado, o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, escreveu  via Twitter: “ O # 5deJulio 1811 resulta no nascimento da Venezuela independente, nascida a República. Hoje nossa luta é para preservar e proteger aquela independência daqueles que buscam nos submeter e nos manter na tragédia em que se encontra o país ”.

Isso ocorre depois de várias violações de direitos humanos ocorridas na Venezuela durante o regime de Nicolás Maduro – que está no poder desde 2013 – e depois de vários apelos da comunidade internacional que ainda estão em curso em favor da preservação da liberdade de expressão, os direitos dos venezuelanos e a cessação dos crimes contra a humanidade ocorridos no país sul-americano.

Nesse sentido, o Tribunal Penal Internacional (TPI) divulgou, nesta segunda-feira, o indeferimento da impugnação apresentada pelo regime de Nicolás Maduro em uma liminar de 2 de julho, sobre a investigação do Ministério Público sobre a violação dos direitos humanos na Venezuela.

A decisão liminar vem depois que, em 21 de junho, o governo a cargo de Juan Guaidó pediu “celeridade” ao novo promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI), Karim Khan, sobre o caso da Venezuela no exame preliminar sobre os crimes  contra humanidade perpetrada pelo regime de Maduro.

Com informações da VOA.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

 
Matérias Relacionadas