Asteróide Oljato perde magnetismo

Observado do ‘Hubble Space Telescope’, um rastro de detritos de asteróide depois de uma suposta colisão. (NASA, ESA, e D. Jewitt/UCLA)

Durante as últimas três décadas, o asteróide 2201 Oljato sempre causou perturbações magnéticas quando passou por Vênus, mas novas observações mostram sua atração magnética desapareceu.

Esse asteróide, com orbita próxima à da Terra, orbita o Sol a cada 3,2 anos. Quando a Pioneer Venus Orbiter da NASA estava no local, ela detectou picos magnéticos, ‘Interplanetary Field Enhancements’ (IFES), durante as três passagens que o Oljato fez entre Vênus e o Sol.

“Esse não é um padrão típico de asteróide!”, Disse o líder de pesquisa da Universidade da Califórnia, Los Angeles, Christopher Russell, em um comunicado de imprensa. “Esses aumentos magnéticos são pouco frequentes, ocorrem cerca de dez vezes por ano na órbita de Vênus.”

No entanto, de acordo com novos dados da sonda ‘Venus Express’ da Agência Espacial Europeia (ESA), o asteróide parece ter perdido seu poder magnético.

“A Pioneer observou que, quando Oljato ficou justamente na frente ou atrás de Vênus, a taxa de IFEs aproximadamente triplicou”, disse Russell. “E, no entanto, observações mais recentes com a Venus Express mostram que a ocorrência de IFES é agora menor do que a média encontrada fora dessa região.”

As colisões entre Oljato e os detritos presentes em sua órbita podem ter carregado eletricamente as partículas de pó resultantes, causando a remoção delas do sistema solar.

“Em certo momento, Oljato lançou fragmentos rochosos – a maioria de algumas dezenas de metros de diâmetro – em sua órbita e eles formaram uma trilha de destroços à frente e atrás do Oljato”, disse Russell. “Eles, então, colidiram com outros objetos que passavam entre Vênus e o Sol”.

“A grande quantidade de poeira fina liberada por essas colisões foi arrastada pelos ventos solares, produzindo as IFEs observadas pela ‘Pioneer’; a poeira foi então acelerada para fora do sistema solar.”

Os detritos na órbita de Oljato parecem ter agora diminuído.

“As IFES observados pela Pioneer sugerem que mais de três toneladas de poeira estão sendo levadas dessa região a cada dia”, disse Russell. “Efeitos associados com o aquecimento solar e perturbações gravitacionais têm gradualmente retirado grandes pedaços de detritos para longe da órbita do Oljato”.

“Antes extraordinariamente cheia, a região tornou-se extraordinariamente clara e livre de IFES.”

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas