Publicado em - Atualizado em 27/09/2017 às 11:38

Assembleia Geral da ONU barra maior rede chinesa independente de notícia

"A NTD não pode enxergar nenhuma razão a não ser a influência do governo chinês", afirma emissora

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, fala aos líderes mundiais na 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) na sede da ONU, em 21 de setembro de 2017, na cidade de Nova York. Uma popular rede de notícias chinesa, com sede nos Estados Unidos, diz que está sendo impedida de reportar o evento (Spencer Platt/Getty Images)

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, fala aos líderes mundiais na 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) na sede da ONU, em 21 de setembro de 2017, na cidade de Nova York. Uma popular rede de notícias chinesa, com sede nos Estados Unidos, diz que está sendo impedida de reportar o evento (Spencer Platt/Getty Images)

A maior rede de notícias chinesa que opera nos Estados Unidos — e a única empresa mundial de mídia que produz conteúdo em língua chinesa independente do regime chinês — está sendo impedida de cobrir a Assembleia Geral das Nações Unidas (UNGA) em Nova York.

O repórter da NTD Television Lixin Yang solicitou o credenciamento em 1º de setembro, aguardando retorno dentro de 48 horas, o prazo descrito no website da ONU, conforme noticiou a NTD.

Leia também:
A história do Epoch Times e o que nos distingue
Enfim, premiado documentário ‘China Livre’ estreia na China continental
Miss Canadá é proibida pelo PCC de participar da final do Miss Universo
Tuidang: 200 milhões de chineses renunciam ao Partido Comunista Chinês
Contrato de satélite em Taiwan torna-se luta pela liberdade

Mas, quando a Assembleia Geral teve início, em 12 de setembro, Yang ainda não havia obtido nenhuma resposta sobre sua inscrição. Ele continuou a fazer solicitações e, em 18 de setembro, véspera do evento mais importante da assembleia, o Debate Geral, Tal Mekel, chefe interino da U.N. Media Accreditation and Liaison Unit, disse-lhe que a ONU considerou a NTD uma “mídia de defesa” (de uma causa). Yang recebeu essa mesma mensagem mais tarde naquele dia num e-mail padrão.

“É ultrajante para a UNGA, uma organização que deveria defender a liberdade de expressão, negar à NTD Television, uma rara rede independente de televisão em língua chinesa, o acesso por sua assim chamada “defesa” ─ especialmente quando a mídia estatal chinesa goza de credenciamento completo”, disse John Tang, CEO da NTD, em uma nota pública.

“Nós certamente compreendemos que o governo chinês possa considerar “defesa” as reportagens da NTD. Mas esse é o mesmo regime que chama os defensores da democracia e os crentes religiosos de ‘criminosos’, enquanto impedem a mídia de reportar os abusos de direitos humanos e os calamidades de saúde pública”, disse Tang.

Lixin Yang, visto nesta captura de tela reportando da Casa Branca, em Washington D.C., foi impedido de cobrir a Assembleia Geral das Nações Unidas, possivelmente devido a interferências do regime chinês, segundo seu empregador, NTD Television (Captura de tela/NTD)

Lixin Yang, visto nesta captura de tela reportando da Casa Branca, em Washington D.C., foi impedido de cobrir a Assembleia Geral das Nações Unidas, possivelmente devido a interferências do regime chinês, segundo seu empregador, NTD Television (Captura de tela/NTD)

NTD Television é uma mídia de notícias e entretenimento internacional sediada em Nova York. Faz parte do Epoch Media Group juntamente com o jornal Epoch Times e outras organizações.

NTD está entre os dez principais veículos de comunicação digital do mundo, de acordo com a plataforma cruzada de tráfego web global.

É também a única mídia chinesa que opera em escala global independentemente do regime chinês, que investiu fortemente em proliferar as sucursais da mídia estatal chinesa como Xinhua, CCTV e China Daily em mercados estrangeiros ao redor do mundo.

De acordo com a NTD, Yang tem sido credenciado no Congresso dos Estados Unidos, Departamento de Estado americano, Casa Branca, União Europeia e Nações Unidas em Genebra, e acumula centenas de reportagens em seu currículo.

Yang também é membro do conselho do Press Club Brussels Europe, membro da International Press Association e membro do National Press Club, em Washington, DC.

“Dada a extensa experiência do sr. Yang, que cobre reuniões internacionais ao mais alto nível, a NTD não pode enxergar nenhuma razão para essa recusa a não ser a influência do governo chinês”, diz o comunicado da NTD.

A NTD cresceu ininterruptamente em popularidade desde o seu lançamento em 2001. De acordo com a comScore, a rede recebe seis vezes mais visitantes únicos em seu site que a agência de notícias estatal chinesa Xinhua e dez vezes mais que a emissora estatal chinesa CCTV (Televisão Central Chinesa).

A rede recebe seis vezes mais visitantes únicos em seu site que a agência de notícias estatal chinesa Xinhua e dez vezes mais que a emissora estatal chinesa CCTV

A rede de notícias baseada nos Estados Unidos enfrentou tentativas contínuas do regime chinês de afetar as operações da estação, incluindo boicotes publicitários, ataques cibernéticos e intimidação de contatos dentro da China, de acordo com o relatório de maio de 2017 da Comissão de Revisão Econômica e de Segurança dos EUA.

Leia também:
Por que o Partido Comunista Chinês continua atacando o Epoch Times
Demolições e morte marcam recente onda de perseguição a cristãos na China
Regime chinês assassinou cerca de 1,5 milhão para extração de órgãos, aponta relatório
Vítimas da gripe aviária na China continuam a crescer lado a lado com a censura online
Regime comunista chinês pretende pôr mídia internacional de joelhos
Taiwan derruba antenas que levam notícias sem censura à China

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016