Arquitetura brasileira mescla estilos tradicionais europeus e indígenas

Ouro Preto e Manaus são exemplos clássicos da arquitetura brasileira

Por Ariane Triebswetter

Com sua fachada simples e branca, a igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, na histórica cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, se parece com qualquer outra igreja. Mas uma vez dentro da construção, decorada em estilo barroco luxuoso, viaja-se para um passado glorioso. Cores vivas, douradas e uma ornamentação detalhada são apenas alguns dos elementos marcantes inspirados nos estilos rococó europeu e barroco brasileiro.

Com o passar dos séculos, o Brasil acolheu uma variedade de estilos de arquitetura. De fato, os brasileiros fizeram de suas cidades um reflexo da arquitetura europeia. Ao caminhar pelas ruas de Ouro Preto, os visitantes podem admirar belos exemplares da versão brasileira do barroco, assim como a arquitetura rococó e neoclássica..

A arquitetura barroca brasileira de Ouro Preto 

Os estilos de construção brasileiros começaram com assentamentos construídos pelos povos indígenas. Os moradores locais usavam folhas, cipós, fibras e madeira para construir seus abrigos. Enquanto a arquitetura indígena era funcional e a europeia mais estética, eles tinham uma coisa em comum: a fauna e a flora locais. A partir do século XVI, os arquitetos brasileiros incorporaram esses elementos locais aos estilos arquitetônicos europeus.

A primeira onda da arquitetura brasileira começou com a arquitetura colonial portuguesa. Este estilo surgiu pela primeira vez no século XVI, quando o explorador e nobre português, Pedro Álvares Cabral, chegou ao Novo Mundo. Segundo Cabral, os imigrantes portugueses queriam reproduzir um estilo próximo ao que conheciam nas casas que deixaram em sua terra natal.

Embora Ouro Preto não tenha seguido esse estilo, grandes cidades, como Rio de Janeiro e Salvador, seguiram o estilo colonial português, facilmente reconhecível pelas fachadas de cal ou de cores vivas, pela simetria e as alcovas e ainda pelas janelas recuadas. O estilo arquitetônico foi popular até o século XVIII.

A arquitetura colonial portuguesa foi seguida pelo estilo barroco. O barroco brasileiro surgiu no estado de Minas Gerais, onde, ao sul da capital do estado de Belo Horizonte, Ouro Preto foi uma das primeiras cidades a adaptar o barroco europeu ao seu estilo único brasileiro. Ouro Preto é uma das cidades coloniais mais importantes, pois foi o lugar onde o ouro foi encontrado pela primeira vez.

 Interior da Igreja São Francisco de Assis em Ouro Preto, Brasil, abril de 2020 (DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)

Após a descoberta, Ouro Preto tornou-se uma cidade mineira e os arquitetos seguiram o estilo barroco conhecido como “Barroco Mineiro”. Afinal, o que é mais barroco do que ouro? 

O estilo normalmente inclui elementos barrocos e rococós, como o ouro, detalhes elaborados, ornamentações e cores luxuosas. Também utiliza materiais locais como madeira de cedro, pedra-sabão e elementos decorativos locais, como a bela fauna e flora brasileira. Há muitos exemplos desse estilo, que podem ser admirados nos edifícios coloridos ornamentados, como teatros, palácios e igrejas.

A Igreja de São Francisco de Assis em Ouro Preto é um exemplo do estilo arquitetônico barroco mineiro (Rodrigo Tetsuo Argenton/ CC BY-SA 4.0)

A igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, é um exemplo do estilo arquitetônico barroco mineiro. A igreja também incorpora elementos rococós de ouro, tetos pintados e esculturas detalhadas da flora e fauna locais. Esta igreja foi projetada pelo primeiro grande arquiteto do Brasil, Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho. Com suas outras habilidades artísticas de escultura em madeira, ele criou um estilo único e duradouro.

Embora tenha trabalhado em outras cidades, a maior parte da obra de Aleijadinho está presente em Ouro Porto como uma das figuras mais importantes da arquitetura barroca brasileira, mesclando os estilos rococó e barroco. Seu estilo opulento contrastava com a sobriedade de outras igrejas.

As imponentes fachadas deste estilo evocam uma sensação de grandeza. Após a opulência do estilo barroco, a Europa mudou para um estilo arquitetônico mais simples e o Brasil seguiu.

Neoclassicismo brasileiro em Manaus

O neoclassicismo surgiu como uma reação ao estilo barroco, como um desejo de um estilo arquitetônico simples e elegante que havia chegado à Europa. Os arquitetos foram inspirados por plantas arquitetônicas gregas e romanas, telhados triangulares e colunas de vários andares. Mais uma vez, o Brasil adotou o novo estilo europeu e, mais uma vez, o Brasil assumiu o estilo.

Muitas cidades passaram de fachadas ornamentadas e edifícios coloridos para construções no estilo neoclássico com fachadas mais simples de mármore, calcário e pedra-sabão branca. Algumas cidades construíram estruturas inteiramente em estilo neoclássico, como a cidade de Manaus, localizada no estado brasileiro do Amazonas.

O neoclássico brasileiro parecia a Europa nos trópicos. As cidades continuaram a crescer e se desenvolver à medida que as exportações brasileiras de borracha cresciam. A riqueza das exportações de borracha, assim como a do ouro brasileiro, deu origem a grandes estruturas. Os teatros se tornaram muito populares, pois eram um símbolo de riqueza e status entre as elites brasileiras. A maioria foi construída no Amazonas, que logo se tornou a região mais rica do Brasil, assim como Minas Gerais um século antes.

A antiga peixaria, parte do Mercado Adolpho Lisboa às margens do Rio Negro em Manaus, Brasil, por volta de 1960 (Getty Images)

A ​​cidade de Manaus é um exemplo perfeito do neoclassicismo brasileiro. A cidade abriga o Teatro Amazonas, construído de acordo com a arquitetura neoclássica europeia. O que o torna tão singularmente brasileiro é que ele foi construído no meio de uma floresta tropical. Como de costume, os elementos naturais são incorporados aos estilos tradicionais. O teatro não só simboliza a importância histórica da exploração da borracha durante um período de grande prosperidade econômica do país, mas também simboliza a cultura brasileira. A cúpula é composta por 36.000 azulejos nas mesmas cores da bandeira brasileira. O teatro foi listado como um marco nacional em 1996.

O Teatro Amazonas, em Manaus, por volta de 1960 (Harvey Meston/Archive Photos/Getty Images)

Curiosamente, como outras estruturas tradicionais brasileiras, a maioria dos materiais de construção e elementos decorativos foram importados da Itália, França e Escócia.

No interior, a arquitetura neoclássica e os elementos decorativos continuam a fascinar. O teto tem quatro pinturas representando as Artes e as colunas são esculpidas com máscaras para homenagear grandes compositores.

A arquitetura brasileira se destaca 

A arquitetura brasileira tradicional é hoje reconhecida internacionalmente. A maioria das cidades brasileiras representam diferentes estilos arquitetônicos influenciados pela Europa ao longo dos séculos, e hoje são Patrimônios Mundiais da UNESCO, pois mostram grande habilidade e beleza. O Teatro Amazonas em Manaus é um patrimônio mundial da UNESCO.

A primeira cidade brasileira a ser reconhecida assim foi Ouro Preto, que também é patrimônio mundial da UNESCO desde 1980, com 11 capelas, 13 igrejas, pontes e museus que representam o barroco brasileiro. Outras cidades seguiram, como a cidade colonial de Salvador.

Muito mais do que lugares no mapa, as cidades brasileiras com arquitetura tradicional são uma homenagem aos arquitetos e artistas nacionais e internacionais do passado. Seu artesanato é uma homenagem a um estilo único e internacionalmente aclamado.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas