Apple move 20% de sua produção para a Índia

Enquanto a pandemia afeta a economia mundial, as cadeias de suprimentos estão se afastando da China

Por Epoch Times

O vírus do PCC está levando a indústria manufatureira a considerar a diversificação de suas cadeias de suprimentos.

A Apple planeja transferir quase um quinto de sua produção da China para a Índia, segundo reportagens do jornal indiano The Economic Times. Especialistas dizem que a escala de investimento, cerca de US$ 40 bilhões nos próximos cinco anos, também pode tornar a Índia o maior exportador de produtos da Apple.

“Estamos realmente fazendo isso, portanto, como parte dessa mudança, a construção dos planos será de várias centenas de milhões de dólares. Além disso, todas essas coisas somam uma quantidade significativa de atividade econômica”, disse o CEO da Apple, Tim Cook, em entrevista.

Cook começou a investir na Índia há quatro anos. Hoje, enquanto a pandemia afeta a economia mundial, as cadeias de suprimentos estão se afastando da China. A Apple está acelerando seus planos de abrir fábricas na Índia. De acordo com o The Economic Times, o governo indiano aprovou o PLI (Production Linked Incentive Plan) para a fabricação de produtos eletrônicos em larga escala em março. O objetivo do PLI é aumentar a produção de componentes eletrônicos, semicondutores e componentes de telefonia móvel, criando 200.000 novos empregos em cinco anos.

As autoridades indianas revelaram que a Apple está considerando transferir 20% de sua capacidade de produção para fora da China, representando um investimento de cerca de US$ 40 bilhões nos próximos cinco anos, acrescentou o relatório.

O bloqueio dos EUA à “tecnologia (da China), bem como a barreira do comércio tarifário, são questões que podem se intensificar novamente no futuro. Portanto, é provável que bases de produção baseadas na China, como Honghai [Foxconn], comecem a mudar sua capacidade de produção para o exterior”, disse Huang Wenqing, vice-presidente de consultoria de investimentos da Taishin Securities.

Embora 90% dos produtos da Apple estejam atualmente montados na China, seu principal fornecedor – o fabricante taiwanês Foxconn – começou há muito tempo a traçar estratégias para a construção de fábricas na Índia. A Foxconn assinou um pacto com a Índia em agosto de 2015, para investir US$ 5 bilhões em cinco anos. De fato, a Foxconn fabricou e montou o iPhone XR na Índia no ano passado.

A Wistron Corp já começou a produzir versões acessíveis do iPhone SE produzindo, desde 2017,  produtos subsequentes relacionados ao iPhone 7 e iPhone 8 no sul da Índia.

Alguns especialistas dizem que a Apple não se concentrou apenas no mercado interno, mas também foi além, tornando a Índia um importante centro de produção e exportação.

“No passado, a principal capacidade de produção da Apple estava concentrada na China, dificultando a movimentação de sua produção para outros lugares. A cadeia de suprimentos dos fabricantes de Taiwan também pode ser forçada a atender às necessidades dos fabricantes de marcas originais (OBMs) em estágios posteriores. Para os fabricantes de componentes, o aparente alongamento geral da cadeia de suprimentos enfrentará um certo grau de desafio”, disse Qiu Shifang, analista industrial do Instituto de Pesquisa Econômica de Taiwan, em entrevista por telefone.

Segundo Nikkei, a Apple também planeja transferir até 30% da produção de seus populares Airpods da China para o Vietnã, que é de 3 a 4 milhões de pares. O plano da Apple de retirar sua capacidade de produção da China a médio e longo prazo tornou-se claramente uma tendência irreversível.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

O Método do PCC

 
Matérias Relacionadas