Após Senado rejeitar aborto, Igreja argentina diz que “toda vida vale”

Entidade manifestou agradecimento a "homens e mulheres", senadores, órgãos e instituições "que se pronunciaram em defesa da vida"

Por Agência EFE

A Conferência Episcopal da Argentina expressou nesta quinta-feira (9) que “toda vida vale”, ao comemorar a rejeição do Senado na noite anterior ao projeto para legalizar o aborto no país.

“O diálogo ecumênico e inter-religioso cresceu nesse tempo, unindo esforços para proteger a vida desde a concepção até a morte natural”, afirmaram os bispos da Igreja Católica em comunicado, horas após a câmara alta ter rejeitado a iniciativa com 38 votos. Votaram a favor 31 senadores.

A entidade manifestou o agradecimento a “homens e mulheres”, senadores, órgãos e instituições “que se pronunciaram em defesa da vida” e, especialmente, aos pobres, que sempre “ensinam a receber a vida como vem e a saber cuidá-la porque é um dom de Deus”.

“Trata-se agora de prolongar esses meses de debate e propostas na concretização do compromisso social necessário para estarmos próximos de toda vida vulnerável”, afirmou a Conferência Episcopal antes de assinalar os “grandes desafios pastorais” que devem ser assumidos.

Nessa linha, apostou pela educação sexual responsável, o acompanhamento a mulheres grávidas vulneráveis e o atendimento “a pessoas que passaram pelo drama do aborto”, entre outras medidas.

“Como Igreja, participamos do debate procurando um diálogo iluminador sem considerar inimigos que pensassem diferente. Como sociedade argentina, nos toca agora assumir e trabalhar as novas divisões surgidas entre nós a partir deste projeto, através de um renovado exercício de diálogo”, acrescenta o texto.

 
Matérias Relacionadas