Anticorpos persistem por mais de um ano após infecção por COVID-19, conclui estudo

Por Ivan Pentchoukov

O sistema imunológico da grande maioria das pessoas que foram infectadas com o vírus do PCC continuará a transportar anticorpos contra o vírus por pelo menos 12 meses, de acordo com um estudo revisado por pares aceito pelo European Journal of Immunology em 24 de setembro.

Cientistas do Instituto Finlandês de Saúde e Bem-estar estudaram a presença de anticorpos em 1.292 indivíduos, oito meses após a infecção. Eles descobriram que 96% dos indivíduos ainda carregavam anticorpos neutralizantes e 66% ainda carregavam um tipo de anticorpo chamado nucleoproteína IgG.

Os cientistas então investigaram os níveis de anticorpos um ano após a infecção, selecionando aleatoriamente 367 indivíduos da coorte original que ainda não haviam sido vacinados. Oitenta e nove por cento dos indivíduos ainda carregavam anticorpos neutralizantes e 36% ainda carregavam o anticorpo IgG.

Os níveis de anticorpos foram mais elevados em indivíduos que experimentaram doença COVID-19 grave. Em comparação com aqueles que tinham doença leve, esses indivíduos tinham de duas a sete vezes mais anticorpos por pelo menos 13 meses após a infecção.

“Estudos de indivíduos que se recuperaram da infecção [pelo vírus do PCC] são cruciais para determinar por quanto tempo os anticorpos persistem após a infecção e se esses anticorpos protegem contra a reinfecção”, escreveram os cientistas ( pdf ).

Apesar da proteção duradoura contra a cepa original do vírus do PCC, o estudo descobriu que a eficiência da neutralização contra as variantes Alfa, Beta e Delta diminuiu com o tempo. A redução na eficiência foi “consideravelmente diminuída” para a variante Beta e “apenas ligeiramente reduzida” em relação à variante Alpha. Para a variante Delta, que é a cepa dominante nos Estados Unidos, o estudo descobriu que 80% dos indivíduos ainda tinham proteção imunológica 12 meses após a infecção.

Um estudo publicado na Nature Medicine em maio descobriu que os níveis de anticorpos neutralizantes em uma pessoa são altamente preditivos de proteção imunológica contra infecções e doenças graves causadas pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) , comumente conhecido como o novo coronavírus. Estudos anteriores demonstraram que os anticorpos persistem seis a 12 meses após a infecção.

Apesar da proteção robusta e duradoura após uma infecção, os mandatos da vacina contra o vírus do PCC nos Estados Unidos não oferecem isenções com base na imunidade adquirida. Uma revisão do Epoch Times dos mandatos de vacinas para faculdades e universidades dos EUA não encontrou uma única escola oferecendo isenções para alunos que adquiriram imunidade. Mandatos recentes impostos nos níveis estadual e federal também ignoraram a imunidade adquirida.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas