Agressores num presídio em Xangai caem em desgraça

O Presídio de Tilanqiao em Xangai é notório por torturar praticantes do Falun Gong. O site Minghui documentou casos detalhados ocorridos lá desde setembro de 2000. Entre os dez alas, a nº 7 tem o pior recorde. Historicamente, tem sido dedicada a “suprimir os antirrevolucionários”.

Relatos dos agressores da Ala nº 7, que tiveram problemas de saúde graves, vieram à tona nos últimos anos. As pessoas afetadas incluem guardas, colaboradores e criminosos. Pessoas que sabem sobre estes casos consideram que isto é resultado de retribuição cármica, a versão oriental de “colhe o que se planta.” Ou seja, os problemas ocorreram com os agressores como retribuição por suas más ações.

Pelo ganho pessoal, essas pessoas têm torturado praticantes do Falun Gong que foram encarcerados ilegalmente no Presídio Tilanqiao. Entre eles, três guardas desenvolveram câncer em estágio avançado e um deles morreu. Seis presos criminais sofreram várias doenças, incluindo algumas que a medicina moderna não conseguiu identificar. Um deles morreu.

Praticantes mantidos na Ala nº 7, que se recusaram a renunciar ao Falun Gong, foram espancados ou privados de sono todos os dias. Eles foram torturados por alimentação forçada, perfuração com agulha e ficar ficar parado sentado num banquinho por horas ou dias ininterruptos.

Guardas contraíram câncer em estágio terminal

O guarda Zhang Keda foi diagnosticado com câncer de pulmão em 2014. O guarda Chi Yong desenvolveu câncer no mesmo ano. Outro guarda, Xiong Wenqi, foi diagnosticado com câncer de estômago no ano passado e morreu uma semana depois de ser hospitalizado.

Membros da família também são afetados

As famílias dos agressores também foram afetadas negativamente. O pai do guarda Sun Miaojun teve um derrame em 2013. O guarda Wu Guoqiang espancou muitas vezes os praticantes à noite, resultando que não puderam dormir bem. Seu único filho, que estava na Polícia Armada, morreu afogado numa praia em 2013.

Presidiários sofrem retribuição

Um presidiário que foi ordenado pelos guardas para espancar os praticantes em várias ocasiões, começou a vomitar incontrolavelmente um mês antes da data de libertação de um praticante. Um hospital o diagnosticou com câncer de estômago e o presidiário morreu uma semana depois. Seu funeral foi realizado no dia em que o praticante foi libertado da prisão.

Sua família quis uma explicação do presídio sobre sua morte, pois ele estava bem quando sua família veio lhe visitar um mês antes. Outros presidiários da Ala nº 7 disseram que ele morreu como resultado de retribuição por torturar praticantes do Falun Gong.

Outro detento, Xu Wenlin, muitas vezes espancava o praticante do Falun Gong sr. Zhou Bin. Ele agora tem dificuldade em levantar os braços.

Li Yi, um presidiário criminoso, que trabalhava frequentemente com Xu e espancavam o sr. Zhou, desenvolveu problemas cardíacos. Ele foi hospitalizado várias vezes.

O presidiário Shen Jianxin apresentou um crescimento de tecido anormal do tamanho de um ovo. O hospital não tinha certeza do que era. Ele teve crescimento de tecido anormal no seu intestino e ânus. Pus, sangue e fezes estavam constantemente supuravam e ele teve que fazer uma cirurgia.

 
Matérias Relacionadas