Aeronáutica cassa condecorações dos mensaleiros José Dirceu e José Genoíno

Condenados no julgamento do Mensalão petista, os ex-presidentes do PT José Dirceu e José Genoíno tiveram as condecorações cassadas pelo comando da Aeronáutica. A medida só foi possível devido a uma requisição do procurador-geral da República Rodrigo Janot. A medida foi divulgada no Diário Oficial da União no último dia 18 e foi assinada pelo comandante Nivaldo Rossato.

Tais honrarias não são permitidas àquelas pessoas que sofreram condenação em qualquer instância ou que perderam ou tiveram suspensos seus direitos políticos, conforme prevê um decreto de 2000, assinado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), base sob a qual as condecorações foram canceladas. José Dirceu teve cassado o grau de grande-oficial e José Genoíno o de comendador.

Leia também:
Operação Decantação da PF prende presidente do PSDB de Goiás
ABTO condena participação da China em Congresso Internacional de Transplantes de Órgãos
Entenda por que militares protagonizaram a Rio-2016

Além deles, outros três ex-deputados condenados no Mensalão do PT já haviam tido suas medalhas retidas pela Marinha no mês de julho: João Paulo Cunha (PT-SP), Roberto Jefferson (PTB-RJ) e Valdemar Costa Neto (PR-SP). Devido às investigações da Operação Lava-Jato, José Dirceu foi preso novamente logo após receber permissão para o cumprimento da pena do Mensalão em sua residência.

Com base em sua participação no esquema de corrupção da Petrobras, em maio deste ano Dirceu foi condenado a 23 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e organização criminosa. José Genoíno, foi condenado por corrupção ativa no Mensalão do PT e a uma pena de quatro anos e oito meses de prisão.

Ele foi detido em 15 de novembro de 2013. Em 2015, foi perdoado judicialmente graças ao benefício do indulto de Natal sancionado pela presidente afastada Dilma Rousseff.

 
Matérias Relacionadas