A acupuntura trata das dores mantendo o organismo saudável

Um referendo nacional indicou que mais de um quarto dos adultos norte-americanos experimentaram algum tipo de dor que durou mais do que um dia. [1]

A dor é uma sensação desencadeada no sistema nervoso. Pode ser aguda ou latente, intermitente ou constante, localizada ou generalizada. Apesar da dor geralmente desaparecer quando o problema subjacente é removido, ela também pode durar semanas, meses ou anos.

Para aliviar a dor muitas pessoas tomam medicamentos de venda livre, incluindo aspirina, naprozem e ibuprofeno. Medicamentos mais fortes, incluindo anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) em doses mais elevadas e narcóticos estão disponíveis apenas por meio de prescrição.

As pessoas podem também experimentar abordagens que não envolvam tomar medicamentos, como a terapia ocupacional, terapia comportamental e terapias complementares e alternativas, como osteopatia ou acupuntura.

A partir da perspectiva da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a dor é causada por desequilíbrios energéticos. Um deles é o bloqueio dos canais de energia ou meridianos. A energia ou qi deve fluir suavemente para manter a função normal do corpo e da mente. Sempre que existe um bloqueio dos canais de energia, surge dor na região. Em outras palavras, quando a energia está estagnada na área, isso provoca dor.

Os fatores envolvidos na origem do bloqueio dos meridianos incluem o trauma físico, o estresse emocional e a energia patogênica excessiva do ambiente, como calor, frio e umidade. Picadas de insetos e ingestão excessiva de álcool também contribuem para o problema. Este tipo de dor é normalmente aguda, severa ou intermitente e também localizada ou migratória.

Outro tipo de dor é causado principalmente por quantidade deficiente de energia se movendo no corpo ou por nutrição deficiente dos tecidos orgânicos ocasionada por má circulação. Este tipo de dor normalmente é latente, crônica, consistente e localizada. Normalmente, as pessoas têm dores causadas por ambas as condições referidas acima.

Os tratamentos de acupuntura são frequentemente aplicados após uma avaliação dos canais de energia e da determinação dos tipos de desequilíbrios energéticos presentes.

As agulhas de acupuntura podem sempre ser inseridas em zonas que apresentam menor sensibilização ou incômodo, para aliviar as dores de outras regiões dolorosas do paciente. Além disso, uma combinação de pontos de acupuntura deve ser selecionada para abordar o desequilibro energético dos meridianos. Por exemplo, para um homem de meia idade com sintomas crônicos de dor lombar causados por deficiência de qi nos meridianos do rim e da bexiga, alguns pontos nos meridianos correspondentes podem ser selecionados.

Após a seleção dos pontos, as técnicas de inserção e manipulação da agulha podem diferir dependendo do bloqueio ou da deficiência de energia. Por exemplo, se a energia está bloqueada, a agulha deve ser inserida na direção contrária ao fluxo do qi do meridiano e girada no sentido anti-horário. Se a energia é deficiente, a agulha é inserida na direção do fluxo do qi e girada no sentido horário.

Tradicionalmente, as pessoas recebem tratamentos diários de acupuntura com base em certas condições. Nos Estados Unidos, as pessoas recebem tratamento uma ou duas vezes por semana de acordo com suas possibilidades financeiras e de tempo. As pessoas necessitam persistir no tratamento por algumas sessões para realmente se beneficiarem.

A acupuntura vem sendo estudada por sua eficácia no alívio de muitos tipos de dor. Há descobertas promissoras em algumas condições, como dor lombar crônica e osteoartrite no joelho. O problema com a pesquisa é que ela frequentemente falha em averiguar corretamente os desequilíbrios do qi em cada paciente e não trata com a frequência ou persistência necessárias para demonstrar que sua eficácia vai além do efeito placebo.

Nos estudos em animais, a acupuntura parece estimular a produção de endorfinas e regular os neurotransmissores. Estudos neuropsicológicos em seres humanos indicam que a acupuntura pode reduzir a atividade elétrica na zona do cérebro envolvida na percepção da dor. Contudo, nenhum destes achados pode ainda explicar os dramáticos efeitos verificados na redução da dor.

Normalmente, a acupuntura é considerada segura quando realizada por praticantes experientes. Há pouquíssimas complicações relatadas sobre a acupuntura. Eventos adversos sérios são raros, mas incluem infecções e órgãos perfurados.

Além disso, há menos efeitos adversos associados com a acupuntura do que com muitos tratamentos alopáticos, como medicação anti-inflamatória e injeções de esteroides, usados para controlar condições musculoesqueléticas dolorosas como fibromialgia, dor miofascial, osteoartrite e cotovelo de tenista.

 

Nota:

1. Centro Nacional de Estatística de Saúde, Estados Unidos, 2006. Com guias das tendências da saúde norte-americana, Hyattsville, MD: 2006.

Epoch Times

 
Matérias Relacionadas