Abertura de CPI foi ‘interferência’ indevida de Barroso, diz Mourão

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

Após o ministro Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar que o Senado deve instalar uma “CPI da Covid”, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, criticou na sexta-feira (9) a medida e reconheceu, ainda, que isso foi uma “interferência” indevida do magistrado.

“Isso, para mim, é uma interferência que não é devida. E vamos colocar o seguinte: nós estamos vivendo um momento difícil, complicado, é um momento em que a gente precisa de união de esforços. E a CPI, a gente sabe, vai ser aquela discussão, aquela geração de atrito, e atrito não leva a nada, só faz perda de energia”, apontou Mourão.

O pedido de criação da CPI foi protocolado ainda no dia 15 de janeiro deste ano pelos senadores Alessandro Vieira e Jorge Kajuru. Após suposta demora para instalação da comissão pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o ministro da Suprema Corte determinou que o líder parlamentar levasse adiante o requerimento.

Em resposta, Pacheco disse que, mesmo rechaçando a ideia de promover uma investigação neste momento, irá cumprir com a ordem do ministro Barroso.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas