A chave para felicidade e sucesso: a história de uma mulher perseguida pela morte

Meus pais me deram à luz e o Falun Dafa me salvou do sofrimento e me deu a felicidade que eu mereço

Por Nguyen Thi Tuoi, DKN.tv

Tentei de tudo, mas não encontrei nenhuma saída e, a partir daquele momento, desisti de me recuperar e passei a esperar a morte. Eu preparei meu próprio funeral. Meu marido ainda era jovem, ele poderia se casar novamente e havia uma grande chance de que meus filhos fossem maltratados por sua madrasta. Muitas vezes eu acordava meu marido à noite e pedia que ele dividisse nossa propriedade para que eu pudesse deixar minha parte para as crianças. Eu insisti: “A morte está atrás de mim. Meu tempo está próximo”, mas ele se recusava a acreditar nisso.

Eu deixei minha cidade natal esperando fazer fortuna

Cresci em uma vila pobre e miserável de Thanh, onde Deus não escuta e o calor maltrata. Era difícil ganhar a vida lá, então os jovens imigravam para outras cidades na esperança de fazer fortuna. Eu também fui embora, decidi fugir de casa e me mudei para Binh Duong para recomeçar a vida. Meu marido era um homem dedicado. Tivemos um negócio rentável e meus filhos tiveram uma infância tranquila. No geral, eu tinha uma linda família.

Eu fiquei deprimida, minha vida dependia de uma pílula (DKN.tv)
Eu fiquei deprimida, minha vida dependia de uma pílula (DKN.tv)

Aos 26 anos de idade, quando eu ainda estava curtindo a juventude, em certa ocasião eu tive um desmaio… É verdade quando dizem que você não pode saber o que o futuro lhe reserva. Eu fiquei tão doente que meu corpo não conseguia se recuperar. As doenças me atacaram, uma após a outra, quando meu histórico de saúde se acumulou. Alguns problemas se tornaram crônicos ou incuráveis, e não tive outra escolha senão viver com eles.

Eu estava perturbada porque tinha que viver através de medicação. (DKN.tv)
Eu estava perturbada porque tinha que viver sob medicação (DKN.tv)

Minha saúde estava em queda livre

Eu desenvolvi uma dor de estômago crônica, que me incomodou por 2 anos, de 2008 a 2010. Fui diagnosticada com gastrite devido à infecção por H. piroly, doença inflamatória que poderia evoluir para câncer gástrico. Era difícil acabar com este problema, pois esta infecção bacteriana voltava com facilidade.

Meu ultra-som abdominal ilustrando a infecção por H. Pylori (DKN.tv)
Meu ultra-som abdominal ilustrando a gastrite decorrente do H. Pylori (DKN.tv)

Também tinha problemas de deglutição e respiração. Visitei o Hospital de Oncologia para fazer um check-up básico. Fui diagnosticada com inflamação nasofaríngea. Voltei pra casa com um pacote de comprimidos que deveriam ser tomados por 15 dias. Eu segui a prescrição e os conselhos do médico, e em troca desenvolvi uma dor insuportável. Voltei para o hospital várias vezes, mas o diagnóstico continuava o mesmo. Eu estava exausta e meu corpo ficou mais fraco. Perdi o apetite e tive insônia. Na idade em que a maioria das mulheres florescia, eu estava com uma aparência terrível, como se um sopro de vento pudesse me fazer voar…

Perdi peso rapidamente, eu tinha diarreia quase todas as manhãs. Fui ao hospital Binh Dan e me disseram que eu tinha proctite, hemorroida interna de primeiro grau. Mais tarde, fui diagnosticada com artrite no University Medical Center. Pouco tempo depois, saiu sangue e um cheiro terrível quando eu espirrei. Então, passei por um outro check-up e descobri que eu tinha sinusite. Em 2011, eu sofria de distúrbios vestibulares e cervicite grave.

Finalmente, a causa da minha dificuldade respiratória era a nasofaringe. Meu retrato pesando apenas 37 quilos (DKN.tv)
Finalmente, descobri que a causa da minha dificuldade respiratória era a nasofaringe. Meu retrato pesando apenas 37 quilos, pálida e magra (DKN.tv)

Eu dependia totalmente de medicação. Eu fiquei perturbada. E o fato mais irritante e insuportável era que eu nunca conseguia ter um sono adequado. Eu precisava ajustar minha posição de dormir, caso contrário, eu poderia engasgar e morrer. Eu visitei o Hospital de Oncologia novamente para um tratamento de acompanhamento e recebi um novo diagnóstico: tumor na fosseta nasal. Foi a razão pela qual tive problemas respiratórios e de deglutição.

Eu daria o mundo para poder me recuperar

Em cada lugar que eu ia eu era submetida a um novo tipo de tratamento. Parecia que não havia mais hospitais que eu não tivesse visitado no Vietnã. As pessoas geralmente recebiam um tratamento adequado em determinados hospitais, mas não era o meu caso. Eu ficava indo de um lugar para o outro e não resolvia meus problemas.

Quando percebi que a medicina ocidental era uma perda de tempo, procurei ajuda da medicina tradicional chinesa. Mudei para a medicina herbária e bati na porta de todos os médicos de quem ouvi falar. Quase cheguei a substituir as refeições por comprimidos e não conseguia sentir nada além da amargura dos comprimidos. Eu mal podia comer. A única coisa que eu conseguia engolir era mingau comum, porque se eu comesse qualquer outra coisa, tinha diarréia logo depois. Eu ficava o dia inteiro no meu quarto, embora dormisse apenas de 1 a 2 horas por noite… E o resto do dia, eu amargava minha condição e me perguntava como a vida podia ser tão difícil. Não importava o quanto eu tentasse, eu não conseguia encontrar conforto em nada.

Fiquei muito desapontada, então decidi procurar tratamento espiritual e não científico. Convidei todos os tipos de especialistas em ciências ocultas e xamãs para realizar rituais antigos, orações e atos mágicos… Eu não me importava com dinheiro, tudo que importava era recuperar minha saúde… No entanto, minhas esperanças foram em vão, pois apesar de meus esforços nada tinha mudado. Não havia um futuro, eu não tinha deuses com quem contar. Existe um ditado que diz que quando uma porta se fecha, outra se abre. Para mim, a única porta aberta naquele momento era a porta para o submundo, onde eu havia desistido de tudo e estava pronta para ser recebida pela Morte.

Perdi minha fé depois de tantas decepções

Eu não tinha mais vontade de fazer nada. Em vez de lutar, comecei a apreciar os sons ocultos das doenças que progrediam em seu hospedeiro. Ao anoitecer, eu escutava e contava os momentos em que engasgava com minha respiração. Deitava-me de lado ou ficava de bruços a maior parte do tempo porque minhas vias aéreas estavam estreitadas pelo tumor, e eu poderia morrer facilmente a qualquer momento. Minhas lágrimas secaram, e meu coração estava dilacerado, eu estava a um passo da morte…

A autora Nguyen Thi Tuoi ao lado de sua filha após sua recuperação (DKN.tv)
A autora Nguyen Thi Tuoi ao lado de sua filha após sua recuperação (DKN.tv)

Eu planejei e preparei meu próprio funeral. estava com medo de como meus filhos cresceriam sem a mãe deles. Meu marido era jovem e logo voltaria a se casar. Eu me preocupava que meus filhos fossem maltratados pela madrasta deles.

Às vezes, eu acordava meu marido no meio da noite e dizia que queria deixar minha parte para as crianças. Aleguei que a morte estava próxima, mas ele se recusou a acreditar em mim. Eu me desesperei em silêncio e fiquei sozinha com lágrimas nos olhos. Decidi não tomar mais remédio e rezei para continuar vivendo. Não me importava mais e já estava aguardando a morte.

Contaram-me sobre uma prática de meditação proibida na China

Um dia, meu irmão veio para ver como eu estava indo. Eu confessei e disse: “Eu não estou melhor. Provavelmente vou morrer em breve.” Ele sugeriu que eu procurasse o Falun Gong, uma prática popular em Saigon e que ajudou a curar pessoas. Ele mencionou que os praticantes eram vítimas da extração de órgãos enquanto vivos na China.

Toda vez que eu ouvia falar em um novo tratamento, meu coração pulava de felicidade, e por isso perdi meu dinheiro por nada muitas vezes. Ainda assim, procurei o Falun Gong na internet. No começo, vi um mestre em roupas casuais se movendo suavemente como se estivesse dançando. Honestamente, fiquei desapontada, afinal como uma prática tão simples poderia me ajudar a me recuperar quando a medicação nada resolvia?

Continuei a ler sobre o Falun Gong e fiquei angustiada ao saber como esta prática é perseguida, e seus praticantes são espancados, presos ou têm seus órgãos extraídos… Aquilo era brutal demais! Fiquei mais curiosa ainda a respeito dessa prática misteriosa e, felizmente, encontrei as informações corretas no Minghui.org. Fiquei emocionada e comecei a chorar quando li os artigos escritos pelos praticantes, que haviam encontrado paz e felicidade. Entre essas pessoas, algumas tinham as mesmas doenças que eu.

Eu não acreditei completamente, mas esperava conseguir incorporar a prática em minha alma. Liguei para vários que alegaram ser voluntários e perguntei sobre o Falun Gong. Perguntei como devia praticar e quanto tempo levaria para me recuperar. E o mais importante, quanto me custaria. Eram perguntas básicas pois eu queria evitar fraudes, mas surpreendentemente, me disseram que eu só precisava comprar alguns livros e praticar os exercícios. Ele me disse que os livros custavam 10 reais, e obviamente como ninguém enganaria os outros por tão pouco dinheiro, eu concordei em aceitá-los.

Encontrei a verdade em meio às dúvidas

Depois de levar os livros para casa, olhei para eles e suspirei: Como esses livros poderiam me salvar se a ciência médica fracassou? Eu guardei os livros e os esqueci por um longo tempo.

Minha condição piorou, e a dor me tirava o sono. Eu ficava em minha cama tentando me consolar. Certa noite, andei pelos corredores para aliviar minha mente e parei na estante de livros onde deixei os livros do Falun Gong. De repente me perguntei o que estaria escrito neles e pensei que deveria me dar uma chance. Escolhi o mais longo, chamado Zhuan Falun, para ler. Nunca acreditei que um livro pudesse curar pessoas, então não tinha muitas expectativas quando abri o livro. Apesar de não conseguir compreender todas aquelas palavras douradas, tentei ler até o final.

Eu fui em todas as reuniões para ler o livro Zhuan Falun. Eu lia o livro na loja quando estava trabalhando fora (DKN.tv)
Eu lia o livro Zhuan Falunna na loja quando voltei a trabalhar fora (DKN.tv)

Eu lia o livro do céu — Zhuan Falun — sempre que tinha chance. Eu lia na loja quando não havia clientes.

Praticava os exercícios e lia os livros, e meu corpo então começou a ser purificado. Passei a ter diarreia com mais frequência e a dor aumentou. O livro já havia mencionado que isso poderia acontecer, então compreendi a situação e continuei praticando. Ele também enfatizou a importância dos princípios da Verdade — Compaixão — Tolerância e declarou firmemente que seria um fator contribuinte para a limpeza da alma. Após um curto período de sofrimento, notei mudanças positivas nas minhas condições.

Quanto mais eu gostava dos livros, mais mudanças aconteciam comigo. No início, eu lia por cerca de 5 a 10 minutos, depois 1 a 2 horas apenas eram suficientes para ler e fazer os exercícios. Um mês depois, a dor diminuiu tremendamente. Li Zhuan Falun 4 vezes e segui o conselho para melhorar minha personalidade.

Antes do Falun Gong, não conseguia dormir e tinha que urinar de 15 a 17 vezes por noite. Eu costumava ter três diarreias por volta das 5 da manhã, mas, excepcionalmente, eu consegui ter um bom sono das 23h às 6h sem urinar ou ter diarreia. Eu não esperava que o Falun Gong produzisse resultados tão miraculosos, então pensei que tinha sido eu mesma que tivesse produzido essas mudanças. Tentei repensar o que havia comido durante o dia, mas não fazia sentido algum. Eu só tinha comido mingau e bebido água.

As pessoas que haviam testemunhado meu “renascimento” se juntaram a mim para praticar Falun Dafa (DKN.tv)

O Dafa me curou física e mentalmente

Em minha mente eu compreendi que podia viver e estar bem no outro dia, e surpreendentemente, a dor foi completamente embora. Já era capaz de dormir à noite e acordar normalmente na manhã seguinte. Passei a me alimentar melhor, algo que tive que esquecer por anos. Eu finalmente passei a acreditar que o Falun Gong havia me curado depois de 3 meses. Minha pele ficou brilhante, e eu já não era mais pele e osso. Ganhei 10kg e pude voltar a curtir minha juventude mais uma vez.

Meses depois, as pessoas ficaram surpresas ao ver as mudanças significativas que eu tinha experimentado. De uma pessoa triste, pálida e enfraquecida, voltei à flor da idade. As pessoas que haviam testemunhado o meu “renascimento” se juntaram a mim para praticar o Falun Gong, e eu estendi a mão para o maior número de pessoas que pude. Eu dei-lhes os livros de graça e ajudei-os com os exercícios.

Minha irmã também tinha doenças graves, ela tinha cálculos renais que a levaram à sala de emergência várias vezes. Ela passava mais tempo no hospital do que em casa, e também ficou deprimida e sem esperança assim como eu. Depois que ela viu como eu tinha mudado, ficou entusiasmada para praticar o DaFa. Ela se recuperou rapidamente depois que começou a praticar, e ninguém dizia que ela um dia teve pedras nos rins.

Eu (à esquerda) estava praticando o quinto exercício do Falun Gong (DKN.tv)
Eu (à esquerda) praticando o quinto exercício do Falun Gong (DKN.tv)

O livro nos ensina a sermos bondosos e a vivermos pelos verdadeiros padrões de moralidade que a maioria das pessoas já esqueceu. Eu reconheço o verdadeiro significado da humanidade como sua principal filosofia de ensino. Embora seja um dos fatores mais conhecidos, as pessoas dificilmente reconhecem e passam para as próximas gerações. Eu sou uma mulher de negócios e já vi coisas boas e ruins no mundo dos negócios… Tento aplicar a verdade — compaixão — tolerância no trabalho e obtive como isso os melhores resultados possíveis.

Já se passaram quatro anos desde que pratiquei o Falun Gong pela primeira vez. Não consigo imaginar como seria a minha vida se não fosse pela grandeza do Dafa. Meus pais me deram à luz e o Falun Dafa me salvou do sofrimento e me deu a felicidade que eu mereço. Dinheiro, fama, felicidade… tudo acaba quando a doença bate à sua porta. Quando a dor te tortura impiedosamente, só então você percebe que nada realmente importa… Que dinheiro não significa nada se não puder lhe dar saúde e bem-estar… Você vai rezar dia e noite para Deus trazer sua saúde de volta e promete ser uma pessoa melhor.

É triste ver como as pessoas pensam que o Dafa é algo comum. Embora o Falun Dafa seja simples e acessível, ele precisa ser apreciado e valorizado, pois pode trazer mudanças positivas a quem tem fé. E o maior desejo dos praticantes do Falun Gong é que um dia as pessoas sintam a graça desta prática de cultivo e adotem o valor da Verdade — Compaixão — Tolerância.

Binh Duong, 27 de setembro de 2016
Nguyễn Thị Tươi

Nota do editor:

Falun Dafa é uma prática de cultivo da mente e do corpo que ensina a Verdade, a Compaixão e a Tolerância como uma forma de melhorar a saúde e o caráter moral e alcançar a sabedoria espiritual.

Para mais informações sobre a prática, visite FalunDafa.org. Todos os livros, música de exercícios, recursos e instruções estão disponíveis gratuitamente.

 
Matérias Relacionadas