70 sacos com restos humanos encontrados no oeste do México

Por Agência EFE

Pelo menos 70 sacolas com restos mortais foram encontrados em uma fazenda no município de Tonalá, no estado mexicano de Jalisco, onde teriam sido encontrados corpos de pelo menos 11 vítimas, informou a Procuradoria-Geral da entidade na terça-feira.

“A questão desta propriedade é que foram localizados 70 sacos com vários restos humanos que no momento são contabilizados em 11 vítimas e as correspondentes obras ainda estão em andamento”, disse o promotor Gerardo Octavio Solís em entrevista coletiva.

A sepultura foi encontrada no final de abril depois que moradores da área relataram odores fétidos e, posteriormente, o Ministério Público localizou vários pontos no local onde poderiam ser enterrados restos mortais e denunciou ao Serviço Médico Legal (Semefo).

A fazenda está localizada em uma propriedade no bairro Alamedas de Zalatitán, na periferia da região metropolitana de Guadalajara, que costumava armazenar embalagens de plástico do tipo pet.

Além disso, foi relatado que os técnicos do Semefo continuam com a retirada de terra do local devido à possibilidade de encontrar mais sacolas.

Jalisco é o estado com o maior número de pessoas desaparecidas e sepulturas clandestinas no México , acrescentando 12.105 casos entre 15 de março de 1964 e 8 de abril de 2021, dos quais 3.096 foram contabilizados desde dezembro de 2018, de acordo com o relatório da Comissão Nacional de Busca do Ministério do Interior mexicano, divulgado em 7 de abril.

Em 2020, foram recuperados 433 corpos de pessoas sepultadas em sepulturas clandestinas em Jalisco, ou seja, concentraram-se na entidade 42,96% dos 859 corpos encontrados em todo o país neste tipo de local.

A entidade, que abriga a região metropolitana de Guadalajara, a segunda mais populosa do país, é a sede do Cartel Jalisco Nueva Generación (CJNG), considerado o grupo criminoso mais poderoso do México.

 
Matérias Relacionadas