Zhang Qian, o pioneiro a explorar a rota para o Oeste

Zhang Qian, o pioneiro a explorar a rota para o Oeste (Zhiching Chen/The Epoch Times)

Desde o estabelecimento da Dinastia Han, nômades xiongnu, que séculos mais tarde seriam conhecidos como os hunos, foram os inimigos mais ameaçadores no Norte e Oeste. Sob o reinado do Imperador Wu de Han, a política externa defensiva foi abandonada e o imperador lançou série de ataques contra os xiongnu.

Havia um grupo tribal asiático na região Xiyu, a oeste do império chinês, chamado Da Yuezhi, cujo rei foi morto pelos xiongnu. O Imperador Wu decidiu enviar um emissário aos Da Yuezhi e buscar uma aliança militar. No entanto, para chegar aos Da Yuezhi era necessário passar por território xiongnu. Zhang Qian, um oficial militar de Han, ofereceu-se como enviado imperial para completar a missão.

Em 139 a.C., Zhang Qian liderou um grupo de cerca de cem delegados em direção ao Oeste e foi a primeira vez que ele rumava numa missão diplomática. Infelizmente, todos foram capturados pela cavalaria huna no caminho. Ele foi escravizado por anos e mais tarde se casou com uma mulher huna, mas escondeu seus sentimentos e nunca desistiu de encontrar a oportunidade certa para escapar e completar sua missão.

Após 11 anos, ele finalmente conseguiu fugir com outro oficial. Eles superaram muitas dificuldades e chegaram ao Estado Da Yuezhi. No entanto, naquele momento, a situação política havia mudado e o novo rei do Estado Da Yuezhi não tinha intenção de atacar os xiongnu. Antes de Zhang Qian voltar à China, ele passou mais de um ano viajando entre diferentes tribos que se estabeleceram na grande zona oeste e documentou a vida e a cultura local, mas também introduziu a cultura chinesa a estas tribos.

Zhang Qian foi capturado novamente pelos xiongnu em seu caminho de volta para a China. Sua vida foi poupada, pois os xiongnu ficaram impressionados com sua coragem e determinação. Um ano depois, ele conseguiu escapar novamente, quando uma revolta irrompeu no Estado Xiongnu. Desta vez, ele fez seu caminho de volta para Chang’an, a capital Han.

Seus 13 anos longe da China lhe permitiram reunir e retornar com muitas informações sobre a região oeste. Após saber da jornada de Zhang Qian, o Imperador Wu se sentiu inspirado a combater os xiongnu e expandir seu território.

Em 119 a.C., Zhang Qian começou sua segunda missão ao Oeste, na esperança de formar uma aliança com o Estado Wusun, localizado no vale Ili, ao norte da bacia de Tarim, para lutar contra os xiongnu. Apesar da aliança militar não ter sido bem sucedida, Zhang Qian enviou seu assistente para visitar outros Estados na região oeste e estabeleceu e manteve boas relações diplomáticas com os Estados na região da Ásia central.

As duas longas viagens de Zhang Qian à região oeste cobriram a maioria dos Estados da Ásia central e ocidental, incluindo Fergana, Sogdiana (Uzbequistão) e Báctria (Afeganistão), e promoveram ligações entre a China, a Ásia central e o Oriente Médio. Sementes de alfafa, nozes e cavalos superiores foram introduzidos na China. Enquanto isso, a Ásia central e ocidental descobriram os produtos chineses, especialmente a seda, dando origem à rota comercial posteriormente conhecida como a Rota da Seda.

Para conhecer outras figuras históricas da antiga China, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas